Nigéria empossa seu primeiro presidente eleito atráves do voto

Chefes de Estado de vários países africanos, dignitários estrangeiros e líderes religiosos se reuniram na praça Eagle para assistir a posse.

O presidente nigeriano Goodluck Jonathan tomou posse neste domingo para cumprir seu primeiro mandato fruto das urnas, no país mais populoso da África, tendo pela frente o desafio de promover reformas e tentar sanar divisões regionais.



Chefes de Estado de vários países africanos, dignitários estrangeiros e líderes religiosos se reuniram na praça Eagle, no centro de Abuja, para assistir à cerimônia de posse e a um desfile militar, marcando o início do mandato de quatro anos de Jonathan.

"Como presidente da República Federal da Nigéria, vou cumprir meus deveres com o máximo de minha habilidade, com lealdade e de acordo com a Constituição," disse Jonathan quando prestou o juramento.

O ex-estudante de zoologia venceu as eleições do mês passado, que, embora fossem longe de perfeitas, foram vistas como tendo refletido a vontade da população em um país que no último meio século praticamente só conheceu governos militares e eleições fraudadas.

Jonathan emergiu do pleito com um mandato digno de crédito, tendo conquistado 59% dos votos, mas com seu partido governista, o PDP (Democrático do Povo), enfraquecido devido à redução de sua maioria no Parlamento e à perda de vários governos estaduais poderosos.

A eleição destacou as divisões religiosas e étnicas da Nigéria. Cristão do sul do país, Jonathan foi vitorioso em sua região natal, mas seu rival, o nortista ex-governante militar Muhammadu Buhari, teve desempenho forte no norte do país, de maioria muçulmana.

Cerca de 800 pessoas foram mortas em tumultos e conflitos sectários em cidades do norte depois do anúncio da vitória de Jonathan. De acordo com a entidade Human Rights Watch, casas, igrejas e mesquitas foram destruídas.

Fonte: Folha.com