ONU adverte contra "sequestros" de crianças no Haiti

Países ricos aceleram processos de adoção que podem encobertar sequestro de órfãos

O Comitê dos Direitos da Criança da ONU advertiu sobre os sequestros encobertos pela adoção no Haiti e manifestou preocupação "com as milhares de crianças separadas de suas famílias", em um comunicado publicado em Genebra.

"Alarmado pelas recentes informações que dão conta de saques e violências", o comitê pediu "medidas eficazes para proteger as crianças contra todas as formas de violência e exploração, incluindo a violência sexual e os sequestros encobertos pela adoção".

"Um número importante de crianças foram feridas e necessitam de atendimento médico urgente", assinalou o comunicado do Comitê dos Direitos da Criança, atualmente reunido em Genebra.

Durante a distribuição de alimentos, é preciso "garantir que a alimentação chegue aos mais necessidatos e não apenas aos que estão em melhores condições para recebê-la, isto é, os adultos", insistiu o comitê.

Países como Estados Unidos, Holanda e França disseram que temem pela vida das crianças em processo de adoção.

A Holanda, que domingo repatriou seis crianças haitianas já adotadas, enviou nesta segunda-feira (18) um avião para buscar outras 109 em processo de adoção por famílias holandesas.

Os Estados Unidos também começaram a acelerar os procedimentos e, na França, um grupo de famílias apresentou uma solicitação com mais de 12 mil assinaturas para exigir a repatriação urgente dos meninos e meninas.

Fonte: R7, www.r7.com