ONU define redução de quase 15% em tropas brasileiras no Haiti

ONU define redução de quase 15% em tropas brasileiras no Haiti

A diminuição é parte de uma redução geral do efetivo de militares no país aprovada ontem.

O contingente militar brasileiro na missão de paz da ONU no Haiti será reduzido em 13% (288 militares) a partir de março de 2012, segundo o general Luiz Eduardo Ramos Pereira, comandante militar da ONU no país.

A diminuição é parte de uma redução geral do efetivo de militares no país aprovada ontem pelo CS (Conselho de Segurança da ONU).

Hoje, o Brasil tem 2.188 militares no Haiti, distribuídos em dois batalhões de infantaria e uma companhia de engenharia do Exército, e um grupamento da Marinha.

Esse efetivo é trocado a cada seis meses. No próximo rodízio, em março de 2012, apenas 1.900 homens serão enviados a Porto Príncipe.

No fim do mês passado, o ministro da Defesa, Celso Amorim havia dito que o corte nas tropas brasileiras seria menor (257 homens), mas a decisão final ainda cabia ao Conselho de Segurança.

Segundo o órgão, a partir de 2012, o número autorizado de capacetes azuis cairá de 8.718 para 7.340 -um patamar semelhante ao que vigorava antes do terremoto de janeiro de 2010.

O CS também renovou a validade da missão por mais um ano -procedimento considerado padrão. Porém, o prazo para uma retirada total do país ainda é indefinido.

Segundo Ramos, os cortes não afetarão militares envolvidos na reconstrução.

"A nossa engenharia permanecerá, porque o enfoque da missão agora é o desenvolvimento, apoiar o país com obras. A engenharia não vai ser mexida em nada, nem no contingente do Brasil nem nos dos outros países."

De acordo com Ramos, o Brasil tem 250 dos 966 militares de engenharia da missão. Este efetivo acaba de receber um reforço de 167 homens vindos da Indonésia.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br