ONU vai estudar uso do cocô de astronauta como combustível

ONU vai estudar uso do cocô de astronauta como combustível

Cientistas vão usar bactéria para identificar provas de vida extinta em Marte

A ONU (Organização das Nações Unidas) anunciou, nesta quarta-feira (17), que vai enviar um satélite de R$ 8,63 milhões (US$ 5 milhões) ao espaço para descobrir se o cocô dos astronautas poderá ser transformado em combustível.

Projetado para promover educação científica e cooperação, o UnescoSat vai levar vários tipos de carga. Uma delas levará a bactéria Shewanella MR-1, uma das mais comuns da Terra, para descobrir se ela consegue transformar as fezes dos astronautas em hidrogênio, para usá-lo em células-combustível. A informação foi revelada pelo site Popsci.

A Nasa, agência especial americana, vem usando células-combustível desde a missão Apollo. Os astronautas bebem água produzida pelas células-combustível dos ônibus espaciais, mas como fontes de hidrogênio podem ser um problema em missões espaciais de longa duração, um suprimento renovável poderia ser útil. É aí que entra a bactéria.

Donald Platt, diretor do programa de Ciências e Sistemas Espaciais do Instituto de Tecnologia da Flórida, nos Estados Unidos, explicou que a Shewanella transforma resíduos em hidrogênio, mas os cientistas ainda precisam saber como ela irá se comportar em um ambiente sem gravidade.

A experiência vai testar a capacidade de a bactéria crescer no espaço para descobrir quanto dura seu ciclo de vida.

Outra experiência vai estudar a viabilidade dessa bactéria de sobreviver nas calotas polares de Marte, para ajudar os cientistas a identificar evidências de formas de vida extintas.

O satélie UnescoSat, que deverá ser lançado na primeira metade de 2011, ficará no espaço por cinco anos.

Fonte: R7, www.r7.com