Opaq assegura que 80% das armas químicas da Síria foram eliminadas

Acordo feito no ano passado, prevê destruição das armas até 30 de junho

A Organização para a Proibição das Armas Químicas (Opaq) afirmou neste domingo (20) que já foram retirados da Síria 80% das armas químicas e materiais relacionados, após a França denunciar hoje o possível uso deste tipo de armamento por parte do regime de Bashar al-Assad.

"A missão conjunta Opaq-ONU na Síria confirmou ontem que aproximadamente 80% das armas químicas e material da Síria foi retirado ou destruído no país", afirmou a organização em um comunicado.

"Este desenvolvimento contribuirá para cumprir o objetivo fixado pelo Conselho Executivo da Opaq de completar todo o programa de armas químicas da Síria até 30 de junho", acrescentou.

Também hoje, o presidente da França, François Hollande, denunciou que tem "elementos", embora não provas, sobre o uso recente de armas químicas por parte do regime sírio.

O ministro francês das Relações Exteriores, Laurent Fabius, afirmou que se têm novas "indicações, ainda por verificar, segundo as quais teriam ocorrido ataques químicos recentemente".

Os ataques, de acordo com o chefe da diplomacia francesa, teriam ocorrido no noroeste do país, perto do Líbano, e seriam "bem menos fortes" do que os de agosto de 2013, mas também fatais.

Segundo o acordo entre Rússia e Estados Unidos assinado em setembro de 2013 para a entrega e o desmantelamento do arsenal químico sírio, o regime se comprometeu a destruir suas reservas de armas químicas até 30 de junho.

Fonte: G1