Pai diz que ação de atirador foi motivada por seu ódio aos gays

Seddique Mateen afirma estar de luto pelo massacre

O pai do autor da chacina na boate gay de Orlando, nos Estados Unidos, expressou tristeza pelo fato de seu filho ter realizado o ataque, afirmando que "cabe a Deus punir os homossexuais".

Em um vídeo postado no Facebook, Seddique Mateen afirma estar de luto pelo massacre que deixou, ao todo, 50 mortos e 53 feridos na boate Pulse. Mas definiu seu filho de 29 anos, Omar Mateen, como "um homem bom e educado".

"Meu filho Omar Mateen era uma pessoa muito boa. Era casado e pai de um menino. Respeitava sua família. Não sabia que tinha este ódio no coração."

"Estou profundamente triste e anunciei isso ao povo dos Estados Unidos", afirma Seddique no vídeo de três minutos, usando terno escuro e falando em idioma dari, um dos dois oficiais do Afeganistão, diante de uma bandeira afegã.

"Cabe a Deus punir os homossexuais. Não corresponde a seus servos", diz.

Seddique Mateen (Crédito: Divulgação)
Seddique Mateen (Crédito: Divulgação)


"Que Deus guie a juventude e permita a ela seguir o verdadeiro Islã." Ele afirma estar se dirigindo "ao bom povo do Afeganistão e a todos meus compatriotas" com o objetivo de anunciar a morte de seu filho.

Seddique Mateen diz estar chocado por seu filho ter realizado o ataque durante o Ramadã, mês sagrado dos muçulmanos.Ele explico u que seu filho trabalhava para uma empresa de segurança, onde conseguiu uma arma."Não entendo. Ele foi a um clube para homossexuais e matou 49 deles", disse.

Autor de ataque que matou 50 pessoas em boate gay  (Crédito: Divulgação)
Autor de ataque que matou 50 pessoas em boate gay (Crédito: Divulgação)


Na véspera, o pai do atirador foi entrevistado e afirmou acreditar que a ação de seu filho foi motivada por seu ódio aos gays, e não por sua religião, muçulmana. "Não teve nada a ver com religião", declarou à rede de TV "NBC".

Ele também contou que Omar Mateen expressou revolta ao ver um casal gay trocando carinhos recentemente no centro de Miami, e sugeriu que isto pode ter motivado a ação violenta ocorrida na boate.

"Ele viu dois homens se beijando em frente à sua mulher e ao seu filho e ficou muito irritado", destacou.


Fonte: G1