Pais de campeã olímpica adotaram irmã por ter nascido sem pernas

Pais de campeã olímpica adotaram irmã por ter nascido sem pernas

Somente há 4 anos, quando a campeã olímpica Dominique já estava com 30, e Jen, com 20, é que as duas se conheceram

A estrela olímpica Dominique Moceanu tinha uma irmã, também atleta, e nem sabia. Tudo aconteceu porque seus pais deram a menina para adoção, quando ela nasceu, por não ter pernas. Jen Bricker, que também é famosa por ter ganhado títulos estaduais, foi criada por uma família adotiva em Oblong, Illinois. As informações são do ?Daily Mail?.

Somente há 4 anos, quando a campeã olímpica Dominique já estava com 30, e Jen, com 20, é que as duas se conheceram e começaram a estreitar as relações. Em entrevista à ?ABC?, a atleta, que foi rejeitada pela família de sangue, disse que ficou chocada ao descobrir sua história verdadeira.

?Eu fiquei em estado de choque. Como isso pode acontecer? Você tem um ídolo na infância e, depois, descobre que ela é sua irmã biológica??, contou Jen, admitindo que já era muito fã de Dominique.

Durante os jogos olímpicos de 1996, em Atlanta, Jen se encantou ao ver a irmã competir. Foi aí que os pais de criação dela repararam que as duas eram irmãs, mas guardaram segredo durante oito anos.

?Quando disseram o último nome dela , vi que era o mesmo da minha filha?, comentou Sharon Bricker, que só conhecia o sobrenome Moceanu como nome da filha que adotara.

Foi então que, aos 16 anos, quando soube da verdade, Jen resolveu escrever para Dominique, contando toda a história e dizendo que não tinha pernas. E, quatro anos depois, elas se encontrariam pela primeira vez.

?Foi a maior bomba da minha vida. Fúria foi meu primeiro sentimento. Pensei: minha vida é toda uma mentira? Tinha essa irmã, que foi dada para adoção, e nunca soube?!?, contou Dominique.

Para Jen, no entanto, um dos momentos mais marcantes foi o encontro com a mãe biológica, Camelia.

?Conhecê-la foi intenso. Perguntei a ela se pensava em mim, se não tinha curiosidade em saber o que aconteceu comigo depois. Sei que é um assunto delicado, difícil, mas eu merecia uma explicação. Eu me senti mal por ela, porque ela nunca nem chegou a me segurar?, contou a atleta, que atualmente trabalha em um grupo de artes performáticas da Universal Studio.

A história veio à tona, na última sexta-feira, quando a ginasta, que está lançando uma autobiografia, revelou à ?ABC News? que seu pai, Dimitry, falecido em 2008, deu a irmã para a adoção. A justificativa dele, na época, era de que eles não tinham como pagar as despesas médicas da filha deficiente. A medalhista de ouro chegou até a romper com os pais, mas depois os perdoou.

Fonte: Extra