Papa Francisco elege oito cardeais para estudar revisão da Cúria Romana

Reforma no organismo central de administração da Igreja foi um dos temas da eleição papal

O papa Francisco elegeu um grupo de oito cardeais, dos cinco continentes, para o aconselharem no governo da Igreja e para que estudem um projeto de revisão da Cúria Romana. Um comunicado do escritório de imprensa do Vaticano detalhou que a iniciativa do papa argentino surgiu depois das sugestões manifestadas durante as Congregações gerais que antecederam o recente Conclave para a escolha do novo papa.

O papa Jorge Bergoglio foi eleito exatamente há um mês, principalmente com o objetivo de reformar as estruturas da Igreja, desacreditadas por uma série de escândalos de corrupção e intrigas, inclusive sexo, conhecidos por Vatileaks. Com esta importante decisão, o Papa sul-americano, que até agora não havia se pronunciado publicamente sobre o tema, passa à ação, tal como exigiram os quase 90 cardeais dos 115 que o elegeram como pontífice em 13 de março passado.

O conselho de cardeais foi constituído "para aconselhá-lo no governo da Igreja universal e para estudar um projeto de revisão da Constituição Apostólica Pastor Bonus", promulgada por João Paulo II, em 1988 e que regula a composição e competências dos diferentes dicastérios e organismos que formam a Cúria Romana, organismo central administrativo da Igreja Católica.

O grupo será formado por cardeais representantes dos cinco continentes começando pelo governador do Estado da Cidade do Vaticano, o cardeal italiano Giuseppe Bertello. Também compõem o conselho o arcebispo emérito de Santiago do Chile, o cardeal Francisco Javier Errázuriz Ossa; o arcebispo de Mumbai, Oswald Gracias, o arcebispo de Munique, Reinhard Marx e o arcebispo de Kinshasa, Laurent Monsengwo Pasinya.

A lista se completa com o arcebispo de Boston, Sean Patrick O"Malley, um dos cardeais mais comprometidos com a luta contra os padres pedófilos, assim como o arcebispo de Sydney, George Pell. O arcebispo de Tegucigalpa, Oscar Andrés Rodríguez Maradiaga, será o coordenador e o bispo de Albano, Marcello Semeraro, será o secretário do grupo.

Fonte: Terra