Papa Francisco assina decreto e autoriza beatificação de rainha italiana

Maria Cristina de Saboia lutou contra a pena de morte no século XIX

O Papa Francisco assinou o decreto que autoriza a beatificação de Maria Cristina de Saboia (1812-1836), a rainha de Bourbon, esposa do rei Fernando I, soberano das Duas Sicílias, indicou o Vaticano.

O Papa autorizou a Congregação para as Causas dos Santos promulgar o decreto que atribui um milagre à "venerável serva de Deus, Maria Cristina de Saboia", nascida em 14 de novembro de 1812 em Cagliari (Itália) e morta em 31 de janeiro de 1836 em Nápoles (Itália).

Maria Cristina era filha de Victorio Emanuel I de Saboia, dinastia a qual pertenceram os soberanos italianos que reinaram nos séculos XIX e XX.

Em 1832 se casou com Ferdinando II e morreu jovem, aos 23 anos, por complicações no parto de seu único filho, Francisco, que foi o último rei das Duas Sicílias.

A beata lutou incansavelmente contra a pena de morte e sua fama de santidade deu origem ao processo de canonização. Mas, depois da unificação da Itália, em 1861, as pressões anticlericais tornou pouco aconselhável canonizar uma rainha.

Os opositores, principalmente liberais e futuros radicais da unidade italiana, a acusavam de supersticiosa e de ser um instrumento da reação clerical e monárquica.

Entre os decretos aprovados pelo Papa nesta sexta-feira esta a proclamação das "virtudes heroicas" do sacerdote espanhol Joaquim Rosselló i Ferrá, nascido em Mallorca (Espanha) em 1833, fundador dos Missionários do Sagrado Coração.

Fonte: G1