Porto Rico vai exportar carne de iguana para combater reprodução

Porto Rico vai exportar carne de iguana para combater reprodução

Espécie se reproduz muito rápido e já estaria afetando agricultura local

Uma empresa porto-riquenha exportará aos Estados Unidos e outros países do continente americano carne de iguana-verde (Iguana iguana), iniciativa empresarial que tenta aproveitar a reprodução sem controle deste réptil não autóctone da ilha caribenha.

Umberto Vázquez, um dos sócios da companhia "Best Iguana Puerto Rico Meat", disse nesta semana que a ideia de iniciar a empresa surgiu depois que o Departamento de Recursos Naturais e Ambientais (DRNA) tornou público em julho do ano passado a intenção de promover a venda de carne do réptil

O DRNA, junto a outros departamentos governamentais, estabeleceu como meta em médio prazo reduzir em 80% a população de iguana-verde em Porto Rico, onde o réptil é considerado uma praga que danifica a agricultura local devido à ausência de um predador natural que controle sua expansão.

Vázquez antecipou que sua empresa pagará US$ 0,50 por cada meio quilograma de carne de iguana verde, uma vez que se inicie a atividade da "Best Iguana Puerto Rico Meat" programada para março. "A iguana verde está acabando com a agricultura", destacou o empresário, que assegura que já conta com uma equipe de pessoas dispostas a iniciar a caça de iguanas, frequentes nos parques e jardins de todas as áreas urbanas de Porto Rico.

Negociações

Vázquez disse que sua companhia mantém contatos com potenciais compradores nos EUA, onde garantiu que há boas perspectivas de comercialização dada a boa aceitação da carne desse réptil no país.

O empreendedor frisou que as possibilidades de exportação não terminam nos EUA e que sua empresa procura clientes em outros países do continente como El Salvador, Panamá e Colômbia. "Trata-se de uma carne ótima, um pouco mais doce que a do frango", detalhou Vázquez, lembrando que a pele de iguana verde é usada também para a fabricação de produtos de indústria dos artigos de couro.

Fonte: G1