Partido Democrata se une para legalizar a maconha nos EUA

O primeiro passo do caminho é pedir o rebaixamento da maconha.

As primárias do Partido Democrata foram mais disputadas do que muitos poderiam imaginar. Bernie Sanders acabou dificultando um tanto para Hillary Clinton. Sanders defende o aumento do salário mínimo, a regulação do sistema financeiro e também a legalização da maconha. E, bem, agora eles - Bernie e Hillary - estão juntos.

Os Democratas, aparentemente, passam por uma nova fase com ideias mais progressistas, talvez fruto da imensa massa de jovens que Bernie foi capaz de trazer para seu lado durante o último ano. Segundo o The Washington Post, os democratas chegaram a um acordo que pode ser bastante positivo: a legalização da maconha em nível federal.

Os políticos da legenda endossaram a tentativa de construir um "caminho fundamentado para a futura legalização da maconha". Ou seja: o consumo recreativo e a venda em todos estados passariam a não ser consideradas crime - o que ainda acontece em boa parte do país.

O primeiro passo do caminho é justamente pedir o rebaixamento da maconha dentro do Controlled Substances Act (Lei de Substâncias Controladas). Hoje, para se ter uma ideia, apesar dos avanços em alguns estados e localidades, para o governo federal a maconha representa o mesmo risco da cocaína, ecstasy, LSD e da heroína.

A maconha para uso recreativo já é legal nos estados de Colorado, Washington, Alaska, e Oregon, bem como no Distrito de Columbia. A Califórnia pode ser o próximo estado a legalizar a erva, em votação popular que ocorrerá em novembro. Os resultados financeiros, até o momento, são bastante polpudos para os estados que legalizaram o mercado da droga.

Legalização da maconha (Crédito: Reprodução)
Legalização da maconha (Crédito: Reprodução)

Legalização da maconha (Crédito: Reprodução)
Legalização da maconha (Crédito: Reprodução)

Fonte: Brasil Post