Passageiros podem ter se jogado na água com medo de explosão

Passageiros podem ter se jogado na água com medo de explosão

O acidente, que matou pelo menos duas pessoas — duas adolescentes chinesas de 16 anos —, também feriu mais de 180.

Passageiros do voo 214 da Asiana Airlines, que sofreu um acidente que deixou pelo menos dois mortos na tarde deste sábado (6) ao pousar no aeroporto de San Francisco, na Califórnia (EUA), podem ter se jogado na água com medo de uma explosão na aeronave.

A chefe do Corpo de Bombeiros, Joanne Hayes-White, disse à CNN que, quando a equipe de resgate se aproximou do avião após o acidente, avistou alguns passageiros saindo da baía de San Francisco, embora a aeronave não estivesse na água.

Acredita-se que alguns passageiros tenham pulado na baía, temendo que o avião, que ficou em chamas após o pouso forçado, explodisse.

Outra possibilidade, segundo Joanne, é que os passageiros tenham se aproximado da água para apagar o fogo em suas roupas.

O acidente, que matou pelo menos duas pessoas ? duas adolescentes chinesas de 16 anos ?, também feriu mais de 180.

As jovens mortas foram identificadas como Ye Mengyuan e Wang Linjia. Elas foram encontradas pelos bombeiros na pista, do lado de fora do avião.

Os danos na aeronave são impressionantes e autoridades se mostraram admiradas por não terem acontecido mais mortes. A cauda do avião se desprendeu da aeronave com o choque durante o pouso forçado e uma explosão seguida de incêndio destruiu quase todo o seu teto.

Muitos passageiros disseram que sobreviveram graças a uma "intervenção divina". "Acho que é um milagre que tenhamos sobrevivido, porque as coisas poderiam ter sido bem piores", disse Vedpal Singh.

O voo, que tinha iniciado em Xangai, na China, e depois feito uma conexão em Seul, na Coreia do Sul, levava 291 passageiros, além de 16 tripulantes. Entre os passageiros, estavam 141 chineses, 77 sul-coreanos, 61 norte-americanos e um japonês.

O piloto da aeronave é um profissional veterano que já está na companhia há 17 anos. Outros três pilotos também estavam a bordo.

A caixa-preta já foi aberta, e os registros, enviados para um laboratório em Washington.

O avião que sofreu o acidente era um Boeing 777 que operava desde março de 2006. O presidente da Asiana Airlines disse que aparentemente não houve problemas técnicos com a aeronave.

Autoridades de segurança descartaram qualquer relação com terrorismo.

Fonte: r7