Polícia faz busca na residência do atirador que matou seis pessoas em templo religioso

Polícia faz busca na residência do atirador que matou seis pessoas em templo religioso

Ele atirou em templo Sikh no Wisconsin no domingo, matou 6 e foi morto.

A polícia vasculhou na manhã desta segunda-feira (6) o apartamento do atirador que matou seis pessoas em um templo Sikh nos EUA, procurando pistas sobre o motivo do ataque.

O apartamento é um duplex no bairro Cudahy, perto de Milwaukee, que se presume ser a residência do atirador. Geradores e holofotes foram colocadas ao longo da rua para ajudar na busca e um esquadrão antibombas estava no local.

A identidade do suspeito - alto, careca, branco e em seus 40 anos - não foi divulgada. Os nomes das vítimas ainda não foram divulgados ao público porque alguns parentes não foram notificados, mas membros do templo disseram que o presidente da congregação e um padre estão entre os mortos.

A polícia disse que o atirador usou uma pistola 9mm semiautomática, recuperada na cena do crime. Eles estavam tentando rastrear a origem da arma. A CNN, citando uma autoridade envolvida na investigação, disse que o atirador era um veterano do exército norte-americano.

O Wisconsin tem uma das leis de armas mais permissivas no país e aprovou uma lei em 2011 permitindo que os cidadãos carreguem uma arma escondida.

Jagjit Singh Kaleka, o irmão do presidente do templo, que estava entre os seis Sikhs mortos, disse que não fazia ideia do motivo do ataque.

"Mas sabemos que quanto mais armas de fogo distriburmos, mais situações como esta teremos", disse ele. Os EUA vetavam a comercialização de certas armas, mas a política expirou em 2004.

"Ato de terrorismo"

A polícia está considerando o tiroteio que matou 7 pessoas em um templo religioso Sikh do estado americano do Wisconsin neste domingo (5) um "incidente de terrorismo doméstico", disse o chefe de polícia de Oak Creek, John Edwards.

Edwards afirmou que o FBI (polícia federal dos EUA) está envolvido na investigação, e garantiu que o incidente está encerrado.

"A melhor informação é que havia apenas um atirador", disse Edward em entrevista, desmentindo a informação de que havia vários envolvidos.

Ele disse que o local do incidente foi esvaziado, mas buscas continuam sendo feitas.O tiroteio ocorreu em um templo da religião Sikh em um subúrbio de Milwaukee, na manhã deste domingo, e também deixou pelo menos três feridos graves.

Atirador morreu

Um dos sete mortos era o atirador, disse Bradley Wentlandt, chefe de polícia de Greenfield, em entrevista anterior. O suspeito é um homem calvo, branco e de aproximadamente 40 anos de idade, segundo Thomas Ahern, um porta-voz do escritório para controle de álcool, tabaco, armas de fogo e explosivos dos Estados Unidos. Autoridades não divulgaram a identidade do atirador.

Os primeiros relatos sobre o tiroteio chegaram aos serviços de emergência às 10h30 locais (12h30 de Brasília), segundo ele.

Ele disse que equipes entraram no templo e encontraram quatro corpos dentro do prédio e três fora.

Wentlandt também afirmou que o suspeito foi morto após atirar contra o primeiro policial que chegou ao local.

O policial reagiu, e matou o suspeito a tiros, fora do prédio, segundo o chefe de polícia.

Ferido pelo disparo do suspeito, este policial, que teria cerca de 20 anos de experiência na polícia, foi hospitalizado e operado. Ele não corria risco de morrer.Segundo uma fonte médica, três pessoas adultas foram levadas em estado crítico para o hospital Froedtert de Milwaukee.

Informações contraditórias

As primeiras informações sobre o ataque eram contraditórias.

A imprensa local e testemunhas afirmaram que havia mais agressores e que 30 pessoas chegaram a ser mantidas reféns no interior do prédio.

Algumas pessoas teriam conseguido sair do templo quando perceberam o que estava acontecendo.

O jornal "The Milwaukee Journal Sentinel" disse, citando testemunhas, que o autor dos disparos seria um homem branco de cerca de 30 anos, que tinha duas armas de fogo.

Ele teria começado a disparar contra um sacerdote que estava fora do templo.

Outra testemunha disse que os tiros foram disparados dentro de uma cozinha do prédio.

Não havia confirmação oficial dessas informações.

Sikhismo

O sikhismo, ou siquismo, é uma religião monoteísta fundada em fins do século XV no Punjab (região dividida entre o Paquistão e a Índia) pelo Guru Nanak (1469-1539).

Mundialmente, há 30 milhões de seguidores. Apenas nos EUA, eles são entre 250 mil e 500 mil. Os Sikhs são majoritários apenas no Punjab.

Nos EUA, especialmente depois do 11 de Setembro, os Sikhs muitas vezes foram confundidos com muçulmanos e agredidos. Mas eles não são nem muçulmanos, nem hinduístas.

Há uma comunidade sikh na região onde ocorreu o ataque deste domingo.

O templo Sikh de Wisconsin foi fundado em outubro de 1997, congregando cerca de 20 a 25 famílias, segundo seu site. Atualmente, tem entre 350 e 400 membros.

A sede atual, palco do ataque deste domingo, foi inaugurada em 2006.

Fonte: G1