Ex-alto funcionário do PC da China flagrado em vídeo pornô pega 13 anos

Ele foi acusado de aceitar subornos de US$ 500 mil de construtores locais.

O Tribunal Popular Intermediário da cidade de Chongqing, na China, condenou nesta sexta-feira (28) a 13 anos de prisão o ex-alto funcionário regional Lei Zhengfu por corrupção, cujo caso ficou conhecido após ele ter protagonizado um vídeo de conteúdo sexual.


Político chinês flagrado em vídeo pornô pega 13 anos de prisão

Lei, de 55 anos e secretário do Partido Comunista da China (PCCh) no distrito de Beibei, também terá que pagar uma multa de 300 mil iuanes (US$ 48 mil), informou a agência oficial "Xinhua".

A destituição de Lei, em novembro de 2012, e sua prisão ocorreram após a divulgação de um vídeo no qual aparecia mantendo relações sexuais com uma suposta amante, e que foi amplamente divulgado nas redes sociais.

O condenado ainda não decidiu se vai recorrer da sentença, informou a Xinhua.

Durante o julgamento, Lei garantiu que não recebeu suborno e que, com relação ao polêmico vídeo, "mantinha uma relação genuinamente amorosa" com a moça, Zhao Hongxia, que tinha então 18 anos.

No entanto, a acusação defendeu que Lei aceitou subornos de aproximadamente US$ 500 mil de construtores locais, que contrataram Zhao para ter relações sexuais com o alto funcionário e gravaram as imagens para chantageá-lo.

O PCCh endureceu o código disciplinar para seus altos cargos nos últimos anos, após o surgimento de vários escândalos, e ordenou sérias punições para aqueles que praticassem "condutas impróprias" como ter amantes, algo aparentemente frequente entre as altos funcionários.

Também em 2012, a cidade de Chongqing foi o cenário de um dos maiores escândalos políticos das últimas décadas na China, depois que a esposa do líder máximo do município, Bo Xilai, foi condenada pelo assassinato de um empresário britânico.

O próprio Bo Xilai também enfrenta acusações de ter mantido relações sexuais com várias amantes.

Chongqing é uma das maiores cidades do país e viveu um grande desenvolvimento nas últimas décadas, mas se transformou também em uma fonte inesgotável de escândalos e polêmicas.

Fonte: G1