Professora norte-americana diz que gostaria de esfaquear os próprios alunos

Professora norte-americana diz que gostaria de esfaquear os próprios alunos

Declaração teria sido feita porque os estudantes não paravam de falar

Uma professora do ensino médio de uma escola em Manhattan (EUA), teria dito que gostaria de esfaquear os próprios alunos. Ela teria ficado tão brava que os estudantes não paravam de flar que, o que não deveria ser expresso nem em pensamento, acabou sendo dito em voz alta. As informações são do New York Post.

Os comentários de Jacqueline Baffoni teriam sido feitos no ano passado, quando ela foi informada que seria demitida.

Segundo os investigadores, um aluno do oitavo ano conta que ela disse gostaria de apunhalar alguns dos alunos e que teria uma faca junto com ela, usada para cortar frutas. A declaração teria sido dada um grupo de estudantes mal comportados, na parte de trás da escola.

Ainda de acordo com os investigadores, a súbita explosão de raiva da professora teria acontecido um dia depois de ela receber um aviso que seus serviços na escola estavam suspensos. A professora foi demitida em junho do ano passado, mas seu contrato ia até outubro. O motivo de sua suspensão, no entanto, não ficou claro.

Em um e-mail enviado ao jornal, Jacqueline caracterizou as alegações contra ela como ?falsas e caluniosas?, além de insistir que havia se dedicado aos alunos.

? Eu nunca desejaria causar danos a nenhuma das minhas crianças.

Um colega de quarto da ex-professora disse que as acusações não tem sentido, e mesmo que ela tivesse feito a declaração, ela estava apenas ?desabafando em voz alta?.

? Ela é incrivelmente dedicada ao trabalhocom as crianças. Para o aniversário de algumas delas, ela fazia churrascos, e gastava dinheiro do próprio bolso. Ela realmente faz com que ele se sintam como se fossem uma família.

Os investigadores disseram que, embora não tenham conseguido encontrar a professora para uma entrevista, ela respondeu a um e-mail ao Departamento de Educação dizendo que já não trabalhava mais na escola.

Fonte: R7, www.r7.com