Rapaz que filmou colega homossexual morto e espalhou na web é solto após 20 dias; veja!

Rapaz que filmou colega homossexual morto e espalhou na web é solto após 20 dias; veja!

Agora, terá que cumprir três anos de liberdade condicional e prestar 300 horas de serviço comunitário

Um ex-aluno da Universidade de Rutgers, em New Jersey, Estados Unidos, foi solto nesta terça-feira (19) após passar 20 dias na cadeia por ter utilizado uma webcam para espionar seu colega de quarto. Dharun Ravi, de 20 anos, assistiu pela webcam a seu colega Tyler Clementi beijar outro homem, e depois divulgou o fato através do Twitter, SMS e via programas de mensagens instantâneas. Alguns dias mais tarde, Clementi cometeu suicídio.

Em sua defesa, Ravi alegou que instalou a webcam para evitar que o visitante de Clementi roubasse seu iPad. Condenado a 30 dias de prisão, ele teve sua pena reduzida por bom comportamento e por ter trabalhado durante o tempo em que esteve na cadeia. Agora, terá que cumprir três anos de liberdade condicional e prestar 300 horas de serviço comunitário, além de pagar US$ 11 mil em multas (cerca de R$ 22.500).

A acusação solicita uma punição mais severa para Ravi, um cidadão indiano que está legalmente nos Estados Unidos e não corre risco de ser deportado, segundo as autoridades de imigração. A lei americana prevê penas de até dez anos de detenção para casos como esse.

O caso provocou debates entre a comunidade gay por todo o país. Algumas pessoas argumentam que a pena imposta foi muito leve, enquanto outras alertam que atrair a atenção da opinião pública para uma condenação mais rígida é uma forma de tirar o foco de uma discussão mais ampla, sobre o impacto emocional e psicológico sofrido pelos gays que não recebem apoio de seus entes queridos.

Fonte: Mashable