Reino Unido tem acesso a dados recolhidos por agência dos EUA

O programa do governo americano, chamado PRISM, permitiria à GCHQ contornar o processo legal

A agência britânica de espionagem e segurança eletrônica, GCHQ, tem recolhido secretamente dados obtidos pela agência de segurança nacional dos Estados Unidos, NSA (na sigla em inglês), de acordo com documentos conseguidos pelo jornal The Guardian.

Estes documentos mostram que a GCHQ, com base na cidade de Cheltenham, na Inglaterra, tem acesso ao sistema desde pelo menos junho de 2010, e gerou 197 relatórios de inteligência somente no ano passado.

O programa do governo americano, chamado PRISM, permitiria à GCHQ contornar o processo legal para adquirir dados privados como e-mails, fotos e vídeos de uma companhia sediada fora do Reino Unido.

Os detalhes do uso do PRISM pela agência britânica constam em documentos preparados por analistas trabalhando na NSA. Em uma nota ao Guardian, a agência GCHQ insitiu que ?leva suas obrigações legais muito seriamente?.

A GCHQ diz que seu trabalho é realizado de acordo com uma estrutura jurídica e política ?rigorosa?, o que garante que suas atividades sejam ?autorizadas, necessárias e proporcionais?, além de haver uma fiscalização rigorosa, inclusive da Secretaria de Estado e autoridades da inteligência e segurança britânicas.

A agência se recusou a comentar sobre há quanto tempo tem usado o PRISM. ?Nós não comentamos sobre assuntos de inteligência?, disse um porta-voz da GCHQ ao Guardian.

A revelação da coleta de dados deixou o governo americano em uma situação desconfortável, e fez com que o presidente Barack Obama se manifestasse sobre o tema. O chefe do Executivo afirmou que o PRISM não era secreto, que os membros do congresso sabiam sobre ele, e que as escutas e a coleta de dados só feita para estrangeiros e não de pessoas que residem nos EUA.

Fonte: Terra, www.terra.com.br