Republicanos começam escolher o rival de Obama nas eleições

São sete os principais candidatos na corrida pela Casa Branca.

O longo processo de seleção do candidato republicano que desafiará Barack Obama nas eleições presidenciais de novembro nos Estados Unidos começa nesta terça-feira em Iowa, com o mórmon Mitt Romney como favorito.


Republicanos começam escolher o rival de Obama nas eleições

São sete os principais candidatos na corrida pela Casa Branca: Mitt Romney, Ron Paul, Rick Santorum, Newt Gingrich, Rick Perry, Michele Bachmann e Jon Huntsman. No entanto, este último optou por ignorar as eleições primárias no pequeno estado rural de Iowa (centro) para se concentrar no processo de New Hampshire (nordeste) em 10 de janeiro.

O objetivo comum dos aspirantes republicanos é derrotar o presidente democrata, cuja gestão da economia, com uma taxa de desemprego de 8,6%, irrita os eleitores conservadores.

Todo o país está com os olhos voltados para Iowa. Mas apenas alguns milhares de eleitores decidirão: entre 120 e 150 mil eleitores republicanos deste estado deverão se pronunciar durante as 1.774 assembleias ou "caucus". Estas assembleias de eleitores se parecem com as reuniões de vizinhos nas quais todos têm direito a votar. Durante os "caucus", os próprios candidatos podem falar com os eleitores, ou ser representados por colaboradores, legisladores locais ou simples voluntários.

Mitt Romney, o candidato republicano já favorito em 2008, terminou em segundo lugar há quatro anos. Desta vez fez campanha em Iowa mais discretamente, antes de redobrar seus esforços nos últimos dias.

Segundo uma pesquisa do Des Moines Register publicada no sábado e realizada entre 602 eleitores republicanos que votariam em Iowa, Romney mantém seu status de favorito com 24% dos votos. É seguido por Ron Paul, com 22%, e Rick Santorum, com 15%. Mas Santorum, católico devoto, ocupa o segundo lugar com 21%, se for considerada a pesquisa realizada entre terça e sexta-feira.

"Sou otimista (...) vamos vencer", declarou Santorum no domingo ao canal MSNBC. Paul, no entanto, disse: "Posso chegar em primeiro, posso chegar em segundo. Não acredito que termine em terceiro ou quarto". Mas, de acordo com a pesquisa, 41% dos entrevistados disseram que poderiam mudar de opinião, um sinal da grande indecisão que existe no campo republicano.

Michele Bachmann, que se apoia fortemente em Iowa, previu "um milagre" na noite de terça-feira. "As pessoas não tomam realmente sua decisão até que se encontrem no "caucus"", declarou à rede ABC.

"Esta é uma corrida muito aberta", opinou o governador republicano de Iowa, Terry Branstad, na CNN, afirmando que muitos eleitores ainda buscam o "candidato perfeito".

Há vários dias a campanha se intensificou, com os tradicionais eventos "meet and greet" (conhecer e saudar) no qual os diversos candidatos tentam convencer os indecisos.

Hotéis, cafés, restaurantes, bibliotecas e até museus: qualquer lugar público é bom para que os candidatos divulguem suas propostas.

No sábado, Rick Perry e Rick Santorum convocaram os republicanos de Iowa a não "se fixarem" em apenas uma pessoa, referindo-se a Mitt Romney, que luta para convocar a faixa conservadora do Partido Republicano.

Uma vitória em Iowa não garante a nomeação, mas multiplica as chances do candidato. Um fracasso pode ser impossível de superar.

Em 2008 no campo democrata Obama ganhou o "caucus" em Iowa antes de perder as primárias de New Hampshire para Hillary Clinton. Após uma longa batalha, Obama conquistou a nomeação e depois derrotou o republicano John McCain nas eleições presidenciais.

McCain não venceu o "caucus" de Iowa; o vencedor foi Mike Huckabee.

Depois das primárias de Iowa na terça-feira, dia 3, e a de New Hampshire, em 10 de janeiro, serão realizadas as votações na Carolina do Sul (leste) em 21 de janeiro e na Flórida (sudeste), em 31 de janeiro. No dia 6 de março, uma dúzia de estados se pronunciarão no mesmo dia, conhecido como "super terça-feira".

As primárias e o "caucus" serão realizados até o verão boreal, embora o ganhador possa ser conhecido antes. Mas será a convenção nacional do Partido Republicano em Tampa, Flórida, de 27 a 30 de agosto, que designará formalmente o rival de Barack Obama nas eleições presidenciais de 6 de novembro.

Fonte: G1