Rússia pede reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU

A solicitação russa é motivada pela


Rússia pede reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU

A Rússia convocou uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU sobre a situação na Ucrânia, que deverá acontecer no início da tarde desta sexta-feira (2) em Nova York, indicaram diplomatas.

A solicitação russa é motivada pela "grave escalada da violência no leste da Ucrânia" e a reunião será pública, de acordo com os diplomatas.

Este será o décimo terceiro encontro desde o início da crise ucraniana. Nenhuma das reuniões anteriores ou consultas resultaram em um consenso do conselho sobre a questão.

Rebeldes abatem helicópteros ucranianos

Rebeldes pró-Rússia abateram nesta sexta-feira (2) dois helicópteros ucranianos, matando dois tripulantes, enquanto soldados reforçaram o cerco à cidade de Slaviansk, dominada por separatistas, e Moscou acusou Kiev de lançar um ataque "criminoso" que acabou com a esperança de paz.

Embora as forças ucranianas pareçam estar realizando uma de suas operações mais coordenadas até agora, seu avanço no terreno foi limitado. No entanto, um porta-voz do presidente russo, Vladimir Putin, acusou o governo ucraniano de fazer bombardeios aéreos contra civis, numa "operação punitiva" que teria destruído um plano de paz internacional.

A Rússia se disse "extremamente preocupada" com o destino dos russos na cidade, incluindo um enviado que tinha a missão de libertar reféns estrangeiros, segundo o Kremlin.

O governo russo tem dezenas de milhares de soldados concentrados na fronteira com a Ucrânia, e se diz no direito de invadir o país vizinho para proteger a população russófona da Ucrânia.

Jornalistas da Reuters em Slaviansk, o mais fortificado reduto dos separatistas pró-russos no leste da Ucrânia, ouviram disparos e viram um helicóptero abrindo fogo, ainda de madrugada. Dez horas depois, a cidade estava bastante calma, com lojas fechadas e separatistas armados controlando as ruas.

Blindados ucranianos assumiram posições mais perto da periferia de Slaviansk, mas os rebeldes ainda controlam a maior parte da cidade, de 130 mil habitantes.

Os separatistas também fizeram avanços na quinta-feira (1º), capturando um centro de controle ferroviário na região de Donetsk, segundo uma autoridade do setor. Eles praticamente paralisaram o tráfego de trens ao interromper a energia.

Kiev disse que o uso de mísseis para abater seus helicópteros é uma prova de que forças russas estão presentes na cidade. Moscou nega que seus soldados tenham entrado na Ucrânia.

Segundo nota do Ministério da Defesa ucraniano, os dois helicópteros de combate Mi-24 foram derrubados por mísseis terra-ar lançados por bazucas, enquanto realizavam uma patrulha noturna na região de Slaviansk. Dois tripulantes morreram, e outros ficaram feridos.

Outros funcionários ucranianos e um líder separatista em Slaviansk disseram que um aviador foi preso. Um terceiro helicóptero, modelo Mi-8, também teria sido atingido por disparos.

Fonte: r7