Russo que pôs virgindade a leilão quer conhecer as brasileiras

Russo que pôs virgindade a leilão quer conhecer as brasileiras

Quando soube que a outra participante do filme seria uma brasileira que não falava inglês, Alex decidiu estudar espanhol.

O russo Alexander Stepanov, que também está leiloando a virgindade na internet, gostaria de ter uma namorada brasileira. "As mulheres brasileiras são muito confiantes e bonitas. É um pouco assustador, mas eu queria conhecê-las melhor", disse o jovem. Alex, como prefere ser chamado, é o outro protagonista do documentário Virgins Wanted, do diretor australiano Justin Sisely. Junto coma brasileira Catarina Migliorini, ele também está vendendo a primeira relação sexual.

Quando soube que a outra participante do filme seria uma brasileira que não falava inglês, Alex decidiu estudar espanhol. "Estudei espanhol por um ano até descobrir que vocês falam português no Brasil", disse o rapaz, que ainda está conversando com Catarina no idioma de Cervantes. O russo pretende percorrer o Brasil para conhecer a cultura e as tradições do país, bem como a música. "Astrud Gilberto é uma das minhas favoritas. Adoro a canção Água de Beber", comenta. Ele também quer aprender a surfar nas praias brasileiras.

Quanto à garota dos seus sonhos, ela deve ser morena e tímida como ele. "A personalidade é o que mais importa para mim, mas minha mãe diz que, como sou loiro de olhos azuis, seria interessante que a menina fosse o oposto de mim", explica.

O rapaz garante que não é gay, mas está recebendo ofertas de homens no leilão pela sua virgindade. "Eu prefiro uma garota, mas não há nada que eu possa fazer se o vencedor for um homem. Se não tiver escolha, vou fazer sexo com ele, mas quero que respeite o fato de que eu não sou homossexual", enfatiza. Nas regras do leilão, não está especificado que o parceiro deva ser do sexo oposto.

Assim como Catarina, Alex assinou um contrato para participar do filme, quando ganhou US$ 20 mil (cerca de R$ 40 mil), além de tratamento psicológico. Diagnosticado com depressão clínica, o rapaz sofria bullying na escola. Aos 16 anos, ele largou o colégio para cuidar da mãe doente. Logo depois, os dois se mudaram para Sydney. "Ninguém queria ser meu amigo ou minha namorada. Tive medo minha vida toda. Estou nesse documentário para mostrar para as pessoas as dificuldades das relações humanas", conta.

Diante da impossibilidade de comprovar a virgindade masculina, o vencedor do leilão receberá uma declaração de abstinência sexual registrada em cartório, assinada por Alex e dois familiares. Nervoso em relação à primeira experiência sexual, o jovem quer investir em um relacionamento sério, que poderia começar no filme. "Não tenho expectativa de ganhar US$ 1 milhão (R$ 2 milhões), mas se alguém quiser gastar todo esse dinheiro comigo, eu espero que a gente possa aproveitar junto", afirma Alex.

Fonte: Terra