Situação respiratória de Chávez se complica bastante e chanceler diz que líder "luta pela vida"

Situação respiratória de Chávez se complica bastante e chanceler diz que líder "luta pela vida"

Segundo o chanceler, o deficit respiratório do presidente "aumentou nas últimas horas".

O ministro das Relações Exteriores, Elias Jaua, disse, citando um boletim médico divulgado nesta quinta-feira (21) pelo governo da na Venezuela, que o presidente Hugo Chávez sofreu um processo de "complicações respiratórias".

"Chávez está lutando pela vida, apegado a Cristo", disse Jaua que participa da 3ª Cúpula ASA (América do Sul - África), em Malabo, capital da Guiné Equatorial.

Segundo o chanceler, o deficit respiratório do presidente "aumentou nas últimas horas", mas ele tem reagido "positivamente" ao tratamento contra a doença de base.

O presidente venezuelano está internado numa área mantida sob o mais absoluto sigilo no hospital militar de Caracas. Na quinta, o governo venezuelano disse que Chávez ainda sofre problemas respiratórios e que a tendência de recuperação não tem sido favorável.

"A insuficiência respiratória que surgiu no pós-operatório persiste e sua tendência não tem sido favorável, por isso ele continua sendo tratado", disse o ministro da Comunicação, Ernesto Villegas, em rede nacional de rádio e televisão.

O ministro afirmou que o tratamento contra o câncer, diagnosticado em Chávez há um ano e meio, continua sem apresentar "efeitos adversos".

Chávez mandou uma mensagem aos chefes de Estado que participam da cúpula repleta de citações ao líder latino-americano Simón Bolívar. Na mensagem, o venezuelano lembrou que África e América do Sul "são o mesmo povo unido hoje pelo sacrifício dos antepassados".

Entusiastas da chamada união Sul-Sul, Chávez e ex-presidente Lula são os principais idealizadores da formação de fundo de financiamento para projetos nas duas regiões. As regras desse fundo serão debatidas por um grupo de trabalho criado pelo Brasil que, inicialmente, resiste à ideia do funcionamento imediato do mecanismo.

Fonte: Folha