"Só cumpri obrigação de cidadão", diz homem que evitou assalto

"Só cumpri obrigação de cidadão", diz homem que evitou assalto

Gaúcho evitou que mulher fosse assaltada na cidade de Dongguan.

Mozer Rhian Oliveira não se considera um herói. O brasileiro de 27 anos que virou notícia na imprensa chinesa e internacional após ter evitado um assalto a uma mulher na cidade de Dongguan, no sul da China, disse que só cumpriu com ?a obrigação de qualquer pessoa: ajudar uns aos outros?.

Oliveira mora na província chinesa de Guandong há quase três anos. Trabalha como técnico calçadista numa empresa francesa. Ele, que morava com os pais no Rio Grande do Sul, onde sua namorada ainda mora, vive sozinho no país.

Ele forma parte da maior comunidade de brasileiros na China. São cerca de 3 mil pessoas dedicadas à índústria de sapatos, quase todos gaúchos.

Na noite da última sexta-feira (4), quando estava indo para a academia, Oliveira viu, na frente do prédio, uma moça sendo assaltada.

Ele correu para tentar ajudá-la e bateu num dos atacantes com um guarda-chuva que levava na mão. Eles perseguiram o gaúcho, que tentou se refugiar no lobby da academia, mas foi atingido duas vezes, uma delas na testa, por uma barra de ferro.

Os agressores fugiram, aparentemente apavorados pelo sangue que apareceu na ferida. Ninguém tentou intervir para ajudar Oliveira durante toda a confusão.

A moça devolveu o favor ao brasileiro e o socorreu, com ajuda de outro chinês. Ela o acompanhou no hospital e pagou todas as despesas.

Já fora do hospital, com uma ferida de 15 pontos na testa e o reconhecimento da imprensa e das autoridades chinesas, Oliveira confessou estar sobrecarregado pela repercussão do caso. (Clique para ver matéria no site www.news.ifeng.com)

Ele recebeu flores, um cesto de frutas e um prêmio de 50 iuanes da polícia.

Enquanto se recupera, Oliveira trabalha em casa, e afirma que, cada vez que sai na rua, é fotografado e abordado.

Fonte: G1