Tailândia manda prender o ex 1º ministro

Manutenção da ordem e punição a ex-primeiro-ministro são anunciadas

O governo da Tailândia decidiu, nesta terça-feira (25), estender o toque de recolher em Bangcoc e 23 províncias até sábado, enquanto um juiz emitiu uma ordem de detenção contra o ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, acusado de terrorismo por supostamente ter incitado os "camisas vermelhas" à violência.

Após novos focos de violência, as autoridades militares tinham recomendado que o toque de recolher valesse por mais uma semana, mas o Governo preferiu aplicar a medida por mais quatro dias.

- Decidimos diminuir o período de sete dias a quatro porque queremos reduzir o impacto para os cidadãos - disse o vice-primeiro-ministro Suthep Thaugsuban, atual responsável pelos assuntos de segurança, que afirmou que o toque de recolher é necessário para prevenir ações violentas.

Em Bangcoc e 23 províncias do nordeste e do norte que têm grandes grupos da frente antigovernamental dos "camisas vermelhas", a medida vale entre 0h e 4h pelo horário local (14h e 18h em Brasília). Ainda nesta terça-feira, um juiz do país emitiu uma ordem de detenção contra o ex-primeiro-ministro deposto Thaksin Shinawatra, acusado de terrorismo por supostamente ter coordenado ações violentas dos "camisas vermelhas" na capital.

A ordem tinha sido solicitada ao Tribunal do Penal de Bangcoc pelo Departamento de Pesquisas Especiais da Polícia, que tinha apresentado como prova um suposto vídeo no qual Shinawatra encorajava seus seguidores a cometerem atos violentos.

A mensagem foi divulgada antes que centenas de manifestantes antigovernamentais saqueassem e incendiassem vários edifícios da cidade depois que foram desalojados da zona do centro da cidade onde tinham ficado acampados por dois meses. Shinawatra, que está exilado, nega que seja o líder dos "camisas vermelhas", e na semana passada condenou a violência, e ressaltou que é responsabilidade do Governo encontrar e levar à justiça os suspeitos de atos de terrorismo.

Fonte: r7