Telefonema de camareira alertou Procuradoria de NY, diz jornal

revelação da conversa telefônica da camareira é mais um fato que depõe contra a sua credibilidade.

Um telefonema da camareira que acusa o ex-diretor-gerente do FMI (Fundo Monetário Internacional) Dominique Strauss-Kahn de abuso sexual chamou a atenção da Procuradoria de Nova York. Apenas 48 horas após a denúncia de tentativa de estupro, ela falou ao telefone com o namorado que está na prisão de imigrantes no Arizona, segundo o jornal "New York Times".



"Ela diz palavras como "Não se preocupe, esse cara tem muito dinheiro. Eu sei o que estou fazendo,"", diz um funcionário da Procuradoria, de acordo com o jornal.

Segundo o jornal americano, o telefonema foi gravado, mas a camareira e o namorado se falaram em "Fulani", uma das línguas da Guiné, país de origem da suposta vítima. A tradução só foi concluída na quarta-feira.

O "New York Times" comenta que o telefone levanta mais um problema em torno da acusação porque parecia que a camareira pretendia lucrar com o que teria ocorrido na suíte do hotel.

A revelação da conversa telefônica da camareira é mais um fato que depõe contra a sua credibilidade. Na sexta-feira, a Procuradoria divulgou uma carta em que detalha as mentiras contadas pela denunciante, tanto em situações anteriores quanto na sua reação após o suposto abuso sexual.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br