'Tenho orgulho de ser gay, e considero um grande presente Deus', diz diretor da Apple

'Tenho orgulho de ser gay, e considero um grande presente Deus', diz diretor da Apple

Tim Cook, CEO da Apple sai do armário e afirma ter orgulho de ser homossexual

O CEO da Apple Tim Cook, número 1 da empresa, saiu do armário e admitiu ser gay num poderoso texto em primeira pessoa publicado pela Bloomberg Businessweek.

No texto, Cook diz que nunca negou ser gay, mas também nunca havia falado sobre sua sexualidade publicamente até agora: "Vou ser claro: tenho orgulho de ser gay, e considero ser gay um dos grandes presentes que Deus me deu."

Em seu depoimento, ele descreve como sua sexualidade permitiu a ele ter uma perspectiva social única.

"Ser gay me possibilitou ter um compreensão profunda sobre o que significa fazer parte de uma minoria e me deu uma janela para perceber os desafios que as pessoas de outros grupos minoritários enfrentam todos os dias. Isso me tornou uma pessoa com mais empatia e tornou minha vida mais rica. Tem sido difícil e desconfortável em alguns momentos, mas também me deu confiança para ser eu mesmo, para seguir meu caminho e superar a adversidade e o fanatismo."

A sexualidade de Cook tem sido motivo de especulação já há um bom tempo. O site de fofocas Gawker disse que Cook seria gay em 2011, antes mesmo de ele suceder Steve Jobs como número 1 da Apple. Nesta quinta, a principal reportagem do site é justamente sobre a saída do armário de Cook, descrito como o o gay mais poderoso do Silicon Valley (como é conhecida a região na Califórnia que grande número de empresas de tecnologia.

Desde então, o próprio Cook tem dado pistas sobre sua sexualidade. No ano passado, durante um discurso sobre direitos humanos em uma universidade norte-americana ele falou sobre a discriminação que sofreu quando jovem. "Desde os primeiros dias, vi e experimentei diversos tipos de discriminação e todos eles estavam enraizados no medo das pessoas que são diferentes da maioria", afirmou.

No entanto, como o executivo de 53 anos nunca havia saído do armário publicamente, permanecia a dúvida. Em maio, o jornal The New York Times publicou uma reportagem intitulada "Onde estão os CEOs gays?", em que justamente questionava por que tão poucos líderes de grande empresas assumiam publicamente sua sexualidade. A reportagem foi atualizada hoje com a informação de que Cook saiu do armário.
 

Clique e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Brasil Post