Terremoto em região turística das Filipinas deixa pelo menos 73 mortos e dezenas de feridos

Terremoto em região turística das Filipinas deixa pelo menos 73 mortos e dezenas de feridos

Tremor atingiu magnitude 7,1, segundo serviço geológico americano

Um terremoto de magnitude 7,1 e de cerca de um minuto de duração atingiu uma região turística das Filipinas nesta segunda-feira (14), deixando dezenas de mortos e provocando destruição.

Pelo menos 73 pessoas morreram, 57 delas na ilha de Bohol, perto do epicentro do tremor, e outras 16 nas cidades de Cebu e Siquijor.

O tremor ocorreu às 8h12 locais (21h12 de segunda-feira em Brasília).

O epicentro foi localizado pelo serviço geológico americano, o USGS, a 5 quilômetros da cidade de Balilihan, no sul do arquipélago.

O número de vítimas, no entanto, não é definitivo e pode aumentar.

Não houve alerta de tsunami para a região, mas a Agência de Mitigação de Desastres da Indonésia fez um alerta de precaução para possíveis ondas grandes no litoral do país.

Autoridades informaram que vários edifícios e casas sofreram danos.

Entre os prédios atingidos, está o hospital de Cebu, que teve de retirar pacientes, e alguma igrejas antigas.

O arcebispo Leonardo Medroso, da cidade de Bohol, disse que duas pessoam morreram devido à queda de destroços enquanto rezavam em uma igreja na cidade de Loon. A igreja é a maior de Bohol e foi inaugurada em 1753.

Imagens de TV mostraram que a torre da Basílica Minore del Sto Niño de Cebu, que também foi erguida nos anos 1700, desmoronou.

O forte tremor também provocou o corte de energia na região afetada.

Cebu fica diante de Balilihan, mas do outro lado do estreito de Cebu, a cerca de 60 quilômetros, e é a quinta cidade mais populosa das Filipinas.

O terremoto principal foi seguido por tremores secundários de menor intensidade, segundo a agência americana e testemunhas.

"Estava dormindo profundamente quando minha cama começou a tremer. Estava aterrorizada e me escondi embaixo da cama", contou à France Presse Janet Maribao, de 33 anos, uma recepcionista que mora em Cebu.



Fonte: G1