Preso o traficante que fazia mulheres transarem com 30 homens ao dia;veja

Ele negociava mulheres para tráfico sexual na Geórgia, Flórida e Carolina do Norte, estados americanos

Um homem acusado de agir como um cafetão de mulheres forçadas à prostituição foi condenado à prisão perpétua.

Ele negociava mulheres para tráfico sexual na Geórgia, Flórida e Carolina do Norte, estados americanos.

Joaquin Mendez-Hernandez, de nacionalidade mexicana, que operava a partir de Savannah, foi uma figura-chave entre os 25 réus acusados no caso do ano passado. Um juiz da Corte Distrital dos EUA o condenou cinco meses depois de ele ter se declarado culpado de conspirar com outras pessoas para se envolver em tráfico sexual.

Os promotores disseram que Mendez-Hernandez e seus parceiros trouxeram mulheres para os EUA do México e de outros países e obrigavam-nas a ter relações sexuais com 30 ou mais homens a cada dia por R$ 58,00.

Eles construíram uma rede que, em grande parte, os atendidos eram imigrantes latinos, ou seja, as prostitutas foram traficadas e não apenas entre as cidades maiores, como Atlanta e Charlotte, mas também em pequenas comunidades agrícolas, como Bonaire. Coordenadores, incluindo Mendez-Hernandez, trocavam fotos de celular das mulheres para decidirem quais as que eles iriam levar para cada lugar.

Mendez-Hernandez recebeu a sentença mais dura de qualquer um dos 23 réus que se declararam culpados no caso. Dois suspeitos que foram acusados continuam foragidos. Pelo menos seis mulheres acusaram Mendez-Hernandez de agir como seu cafetão. Elas disseram que ele as levava para as casas e quartos de motel para terem relações sexuais com vários homens, e em seguida, ele tomava a maior parte do dinheiro que elas haviam ganhado. Os promotores disseram que ele ganhou o suficiente para enviar R$ 3.525,00 por semana de volta para sua família no México.

Mendez-Hernandez e os outros foram acusados de operar o comércio do sexo a partir de 2008 até sua prisão em janeiro de 2013. E, enquanto ele se declarava culpado, negou quaisquer ameaças ou agressão às mulheres e que, segundo ele, o sexo trocado por dinheiro foi feito voluntariamente por elas.

Não há liberdade condicional no sistema judicial federal. A melhor aposta do Mendez-Hernandez para ser libertado da prisão é conseguir ter sua pena reduzida em um recurso.

Fonte: Huffingtonpost