Últimas palavras de Chávez foram "não me deixe morrer", afirma general

Ataque cardíaco matou o líder, segundo chefe da guarda presidencial

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, morreu vítima de um ataque cardíaco fulminante, disse nesta quarta-feira (6) o chefe da Guarda Presidencial, general José Ornella.

Ele morreu após "grande sofrimento" e suas últimas palavras, quase inaudíveis, foram: "Eu não quero morrer. Por favor, não me deixe morrer", segundo o militar.

As declarações de Ornella foram feitas do lado de fora da Academia Militar, onde ocorre até sexta-feira o velório de Chávez, morto na terça-feira em Caracas após lutar contra o câncer.

Questionado se o câncer de Chávez, que nunca foi totalmente esclarecido pelo governo, havia se espalhado para os pulmões, o militar não respondeu.

Fonte: G1