"Vi meu filho ser morto por causa de uma piada", diz mãe de jovem

"Vi meu filho ser morto por causa de uma piada", diz mãe de jovem

Adolescente de 14 anos foi morto a tiros por blasfêmia contra profeta Maomé

Mohammed Qataa estava trabalhando na frente de sua casa, na cidade síria de Aleppo, quando resolveu fazer uma brincadeira. Mas para o jovem de apenas 14 anos, aquela sua atitude de criança lhe custaria a vida.

No dia 8 de junho passado, o menino servia café para pessoas na rua quando um grupo de três homens, provavelmente estrangeiros, lhe pediram para tomar a bebida sem pagar nada. Qataa não aceitou.

? [Não faria isso] nem se Maomé estivesse aqui.

Para os três homens ali sentados, estrangeiros, que falavam um árabe em dialeto diferente e que estavam na Síria para lutar ao lado dos rebeldes, citar o nome do profeta da religião islâmica soou como ?blasfêmia?. Por causa disso, eles mataram o menino. Foram três tiros.

A piada e morte de Qataa causaram polêmica e revolta em Aleppo, a segunda maior cidade da Síria e palco de sangrentos combates entre o Exército sírio e as forças rebeldes ? que lutam há mais de dois anos para derrubar o presidente Bashar al Assad do poder.

A execução do menino levanta temores sobre a radicalização dos rebeldes sírios, cada vez mais influenciados e ajudados por diversos grupos radicais islâmicos de várias partes do Oriente Médio.

O filho morto

ara a família de Qataa, no entanto, a imagem que fica é a do filho morto da frente de casa.

Em entrevista ao diário britânico The Telegraph, a mãe do adolescente, Nadia Umm Fuad, relatou como viu e ouviu a morte de Qataa.

? Eu vi os rebeldes executarem meu menino por não mais que uma piada.

Nadia estava no andar superior de sua casa quando ouviu a gritaria vinda da rua. Ela chamou o pai do garoto e correu para fora de casa.

? Eu estava nas escandas quanto ouvi o primeiro tiro. Estava na porta de entrada quando ouvi o segundo tiro. (...) Eu vi o segundo tiro.

Em prantos diante do filho baleado, Nadia conta que clamou pela morte do filho.

? ?Vocês estão matando uma criança?[, eu disse]. Mas eles apenas me lançaram um olhar sujo e entraram no carro. Antes de ir, eles ainda passaram em cima do braço do meu filho, enquanto ele morria deitado no chão.

A morte do adolescente foi condenado dentro e fora do país. Segundo o Telegraph, Qataa se tornou um símbolo do medo que muitos sírios sentem com relação ao futuro do país, já que o país segue sem rumo e pode cair nas mãos de grupos radicais.

Fonte: r7