Internautas fazem petição na internet para proibir entrada de 'pegador profissional' no Brasil

Internautas fazem petição na internet para proibir entrada de 'pegador profissional' no Brasil

Não, Julien Blanc! Petição na internet quer impedir a entrada de "pegador profissional" no Brasil

"Esse passo-a-passo fará com que os olhos dela brilhem pra você mais do que os de um cachorrinho. Faça ela gostar de você mesmo que você seja um mala". O homem da foto acima é o norte-americano Julien Blanc.

Ele é quem disse as frases citadas acima.Ele quer vir ao Brasil, mas nós não queremos que ele venha.

Blanc é um "profissional" que "ensina" homens a "pegar" mulheres, por meio de conferências. Ele é conhecido por "ensinar" táticas como: ignorar quando mulheres dizem não, fazer ofensas racistas, atacar a autoestima das mulheres e a "tática" de chegar sufocando mulheres em bares, com as mãos ao redor do pescoço, e até a forçar os rostos delas em direção à sua virilha.

Se você ainda não conhece o "trabalho" deste sujeito e - a título de curiosidade - quer conhecer, ele disponibiliza vídeos no YouTube em que demonstra como são suas táticas de "conquista" em relação às mulheres. No vídeo abaixo, ele tenta aplicá-las. Assista:

De acordo com a agenda oficial de Blanc, ele pretende estar em Florianópolis entre 22 e 24 de janeiro de 2015 e no Rio de Janeiro entre 29 e 31 do mesmo mês para dar palestras e ensinar aos homens brasileiros como é que se conquista uma mulher.

Para barrar a vinda dele ao Brasil, uma petição pública criada na internet e direcionada à delegacia de imigração nacional pede que a Polícia Federal impeça a entrada do norte-americano Julien Blanc no Brasil. Um evento no Facebook também foi criado para divulgar a petição. O texto divulgado na petição diz que:

"Em nome de milhares de mulheres que todos os dias combatem a violência contra a mulher em São Paulo e no Brasil. (Pretendemos) Informa-la (à titular delegacia de imigração) urgentemente que em janeiro de 2015 receberemos uma conferência estrangeira no Rio de Janeiro e em Florianopolis, que exalta a cultura do estupro, o crime de agressão e racismo e profundo desrespeito pelas mulheres."

Em menos de 9 horas a campanha já ultrapassou a marca de 40 mil assinaturas, quando a meta inicial são cerca de 100 mil assinaturas.

É possível!

Recentemente, segundo a Marie Claire, o norte-americano foi deportado da Austrália depois que a ativista Jennifer Li criou uma petição na internet pedindo sua expulsão do país. A campanha teve 41 mil assinaturas - pouco mais do que a brasileira já atingiu.

A produtora de cinema e ativista feminista Jazz Mota, uma das idealizadoras da petição brasileira, disse ao Correio Brasiliense que o objetivo da campanha não é apenas impedir que Julien entre no país.

"Gira em torno da causa maior: o combate à violência contra a mulher, pois não podemos suportar mais e é uma prova de que estamos juntos para combater isso", disse.

Manifestações contra a visita de Julien estão acontecendo em várias partes do mundo. No Reino Unido, ativistas pedem que as autoridades não concedam visto ao sujeito, assim como no Canadá. Um relatório recente questiona se Blanc pode ou não ser banido do Japão também.

Porém, em entrevista à Vice Brasil, o coach de relacionamentos brasileiro ​Guilherme Pinheiro considera irrelevante a petição. Ele afirma que, "se ele for boicotado [no Brasil], eles mandam algum outro instrutor no lugar. Estes caras estão longe de ser os caras mais burros do planeta Terra."

Clique e curta o Portal Meio Norte no Facebook

 

Fonte: Brasil Post