Internos têm oportunidade de continuar vida escolar

A matrícula nas unidades prisionais é opcional, no entanto, além de receber aulas ministradas por 41 profissionais através de conteúdo programático do Eja, os internos terão outros benefícios

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA TERÇA-FEIRA (31) DO JORNAL MEIO NORTE

Os indivíduos que por erros cometidos no decorrer da vida, e agora encontram-se privados de liberdade, podem ter a chance de continuar os estudos dentro das unidades prisionais do Estado. A Secretaria Estadual da Justiça (Secjus) iniciou o ano letivo em oito unidades, além de aplicar os testes de diagnóstico dos alunos, para assim, descobrir qual etapa o interno será matriculado na Educação de Jovens e Adultos (EJA).

De acordo com Jussyara Valente, coordenadora de ensino da Secjus, a matrícula nas unidades prisionais é opcional, no entanto, além de receber aulas ministradas por 41 profissionais através de conteúdo programático do Eja, os internos terão outros benefícios. “Mesmo estando privado da liberdade, eles continuam a seguir a vida escolar. Ainda, tem oportunidade de conseguir redução de pena”, explica.

A coordenadora explica que antes de efetivar a matrícula, o interno passa pelo teste de diagnóstico que é o primeiro passo para avaliar o conhecimento do aluno. “O teste foi inserido como proposta de conhecer o grau do interno, pois nem todos constam histórico da vida escolar. Era uma dificuldade e temos que fazer esse teste para avaliar o conhecimento dele e colocar na serie”, afirma.

A coordenadora explica que o teste é baseado em dois segmentos. “O primeiro avalia o ensino fundamental e o segundo diz respeito ao ensino médio. Após a correção do teste, todos estarão no sistema matriculados de acordo com seu desenvolvimento”, relata.

Repórter: Daniely Viana

Fonte: Daniely Viana