Irã diz que falha técnica pode ter causado queda de avião

"Estamos buscando a caixa-preta para poder conhecer as causas", afirmou.

As autoridades iranianas averiguam as causas do acidente aéreo que causou a morte de 168 pessoas nesta quarta, depois da queda de um avião que realizava a rota entre Teerã e Yerevan, capital da Armênia, e que aparentemente apontam para um problema técnico.

Segundo Sirous Saberi, vice-governador da cidade iraniana de Qazvin, próxima à região do acidente, o piloto teria informado à torre de controle sobre um problema técnico e teria solicitado permissão para um pouso de emergência.

Depois de ter detectado a suposta falha, o piloto teria conseguido chegar aos aeroportos de Tabriz e de Zanjan, mas não conseguiu pousar, o que o obrigou a tentar a voltar para Teerã, explicou Saberi, à agência de notícias local Mehr.

"Estamos buscando a caixa-preta para poder conhecer as causas", afirmou.

Logo depois da divulgação da notícia do acidente, o porta-voz da organização iraniana de aviação civil, Reza Jafarzadeh, deu a entender que poderia se tratar de uma falha técnica.

"A única informação que temos é que o voo 7908 sofreu problemas 16 minutos depois de decolar", do aeroporto Imam Khomeini, da capital, explicou à imprensa.

Também não se sabe, até o momento, as nacionalidades dos passageiros.

O avião, um modelo Tupolev de fabricação russa da companhia aérea Caspian Airlines, transportava 153 passageiros e 15 membros da tripulação. "Todos morreram", detalhou o comandante Massoud Jafari Nasab, chefe da polícia de Qazvin.

Pouco depois do acidente, que aconteceu às 11h30 (4h30, horário da Brasília), a televisão nacional iraniana mostrou imagens do local do acidente, uma zona rural do noroeste de Teerã que ficou coberta por pedaços de fuselagem.

"O avião ficou destroçado. Muitos pedaços estão espalhados pelos arredores de Jannat-abad", cidade próxima a Qazvin e a cerca de 200 quilômetros a noroeste de Teerã, detalhou o chefe da unidade contra incêndios, Hussein Behzadpour.

Segundo o bombeiro, unidades do corpo chegaram ao lugar do acidente pouco depois que o avião perdeu contato com a torre de controle e caiu sobre o campo, onde pegou fogo.

A Polícia isolou a área, até ambulâncias e equipes especializadas chegarem ao local para recuperar os corpos.

A Caspian Airlines é uma companhia iraniana fundada em 1992, que opera voos internacionais para Hungria, Emirados Árabes Unidos, Síria, Ucrânia, Armênia, Belarus e Turquia, assim como para as principais cidades iranianas.

O Irã tem uma frota aérea em estado crítico, afetada pelas sanções internacionais econômicas e financeiras ao país que dificultam sua renovação e compra de novos aparelhos.

Desde a imposição das sanções em 1980, após o triunfo da Revolução Islâmica que tirou do poder o último Xá da Pérsia, o pró-ocidental Mohammad Reza Pahlevi, a aviação iraniana sofreu vários acidentes com aviões que transportavam mais de 100 passageiros.

Em fevereiro de 2002, um avião similar da companhia Iran Air Tours caiu quando voava entre Teerã e a cidade de Jorramabad, no leste do país, com 105 ocupantes.

Três anos depois, no dia 6 de dezembro de 2005, 116 pessoas morreram após um avião militar AC-130 Hércules que levava passageiros civis - entre eles vários jornalistas - ter se chocado um edifício de dez andares nos arredores da capital.

Fonte: Terra, www.terra.com.br