Irmã de ator morta em queda de parapente é enterrada na Bahia

Irmã de ator morta em queda de parapente é enterrada na Bahia

Nutricionista passava férias quando sofreu acidente no domingo (25).

O corpo da nutricionista baiana Priscila Boliveira, 24 anos, foi sepultado na manhã desta quarta-feira (28), no Cemitério Jardim da Saudade, em Salvador. Dezenas de familiares e amigos participaram do velório e não permitiram que a imprensa se aproximasse da cerimônia, que começou por volta das 9h. "Precisamos da sensibilidade de todos neste momento", disse um dos amigos que preferiu não ser identificado.

Na capela, foi presidida uma missa em homenagem à jovem antes do sepultamento. No domingo (25), Priscila despencou de um parapente após decolagem, junto com um instrutor, na rampa da Pedra Bonita, em São Conrado, na Zona Sul do Rio.

O irmão da vítima, o ator Fabrício Boliveira, participou da cerimônia acompanhado dos pais e de outros parentes, mas não deu entrevistas. Alexandre Santana, amigo de Priscila, disse que as pessoas próximas a ela vão se reunir para procurar formas de evitar a impunidade no caso. "Não é a hora agora. Vamos esperar passar esse momento difícil para nos unir em busca de soluções para esse caso", afirmou.

Oito pessoas já foram ouvidas pela Polícia Civil no inquérito que investiga a morte da nutricionista, conforme mostrou o Bom Dia Rio. Ela sofreu uma queda de aproximadamente 20 metros após saltar de parapente da rampa da Pedra Bonita, em São Conrado, na Zona Sul do Rio.

Na terça-feira (27), o Clube São Conrado de Voo Livre (CSVL) divulgou um relatório que aponta que houve negligência do instrutor de voo Alan Figueiredo no acidente.

No documento assinado pelo presidente do clube, Carlos Trota, consta que o instrutor de voo não verificou os equipamentos e as travas de segurança. Segundo o relatório, Priscila decolou com as travas das pernas soltas.

De acordo com Carlos Trota, após o relatório e as evidências, o Clube São Conrado de Voo Livre decidiu na terça-feira afastar por tempo indeterminado o instrutor Alan Figueiredo. Em depoimento na 15ª DP (Gávea), pouco depois do acidente, o instrutor contou que tentou segurar Priscila com as pernas quando percebeu que ela estava caindo e que ela tinha se soltado da fivela de segurança. A vítima, de acordo com o depoimento do instrutor, caiu durante tentativa de aterrissagem.

Alan Figueiredo foi indiciado por homicídio culposo por negligência, segundo a polícia.

Fonte: G1