Irmã de jovem morto ao ser baleado diz que amigos iriam "dar susto nele"

Irmã de jovem morto ao ser baleado diz que amigos iriam "dar susto nele"

Vítima foi atingida pelo colega quando saía do banho e morreu no local.

?Escutei um dos amigos dele falando para o outro: Vamos dar um susto no Vinícius? Nisso ele chamou meu irmão e eu ouvi um barulho?. O relato é de Larissa Alves do Santos, que perdeu o irmão de 17 anos após ser baleado acidentalmente pelo amigo, na madrugada de domingo (12), em Rio Claro (SP). O disparo, segundo a polícia, aconteceu depois que a vítima levou amigos em casa para ver a arma da família. Já a irmã diz que o revólver não era do adolescente. Os colegas estiveram na delegacia para prestar depoimento, mas foram liberados.

Segundo a versão apresentada pelos amigos à polícia, no momento em que a vítima saiu do banho, a arma, que estava com um rapaz de 19 anos, disparou acidentalmente e acertou a cabeça de Vinícius Andrey dos Santos. Eles chamaram o Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu), mas não houve tempo para resgate e o adolescente morreu no local.

Segundo o tenente da Polícia Militar Patrick Cândido Barbosa, o autor do disparo fugiu com a arma, mas foi encontrado em casa e não ofereceu resistência. ?Ele acompanhou os policias e mostrou que havia jogado o armamento em um matagal?, contou.

Na delegacia, os três amigos alegaram que tentavam desarmar o revólver quando o disparo aconteceu. Segundo eles, foi acidental. O caso foi registrado como homicídio culposo, quando não há intenção de matar e será investigado pela Polícia Civil.

O revólver calibre 22, que está com a numeração parcialmente raspada, foi apreendido e encaminhado para o Instituto de Criminalística para perícia. A polícia ainda não sabe de quem era a arma.

A irmã afirma que a família não tinha revólver em casa. ?A arma não era do meu irmão. Não tenho ideia de quem era. Na delegacia os amigos disseram que era do meu irmão, mas se era dele, por que o rapaz fugiu com a arma e a jogou no mato? Era mais fácil deixar a arma. É isso que não entra na minha cabeça ainda?, disse.

Para o pai, André dos Santos, mesmo que o autor do crime não tenha tido a intenção de matar, deve responder pelo que fez. ?Errou tem que ser punido. Não que a gente queira o mal das pessoas, mas queria que a justiça fosse feita de acordo com a lei. Não pode ficar impune uma tragédia dessa?, protestou.

O corpo da vítima foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Rio Claro. O velório foi na tarde de domingo, no Cemitério Parque das Palmeiras. O enterro ocorreu na manhã desta segunda-feira (13), no mesmo local.

Fonte: G1