Irmã do ex-presidente Fernando Collor é enterrada rodeada pelos familiares

Irmã do ex-presidente Fernando Collor é enterrada rodeada pelos familiares

A jornalista morreu na tarde do sábado (12), devido a complicações decorrentes de uma insuficiência respiratória aguda.

Familiares e amigos da jornalista e presidente de honra da Organização Arnon de Mello (OAM), Ana Luísa Collor de Mello, 69, irmã do ex-presidente e senador da República Fernando Collor de Mello, prestaram as últimas homenagens durante o sepultamento, na manhã deste domingo (13), em Maceió. A jornalista morreu na tarde do sábado (12), devido a complicações decorrentes de uma insuficiência respiratória aguda.

Ana Luísa já vinha sofrendo com complicações de saúde e estava internada no Hospital Sanatório, em Maceió, há cerca de 40 dias, segundo a médica Eliane Medeiros. A jornalista faria 70 anos em dezembro.

Além dos dois irmãos de Ana Luisa, Fernando e Leda Collor de Mello, dezenas de pessoas do meio político, cultural e jornalístico de Alagoas acompanharam o velório e o enterro, realizado no Parque das Flores.

À reportagem do G1, o jornalista e chargista Ênio Lins, destacou a contribuição intelectual de Ana Luísa à OAM. "Como a maioria dos filhos do senador Arnon de Mello se encaminhou para o jornalismo, com Ana não foi diferente. Ela estagiou no Jornal do Brasil, onde chegou a escrever profissionalmente, mas depois acabou não seguindo a carreira da área", disse.

"Por volta de 1996, ela assumiu a presidência de honra da OAM, que foi quando trabalhamos juntos. Ela implantou um conselho de avaliação de qualidade na organização. Ana Luísa era uma pessoa muito inteligente, possuía grande visão jornalística e uma boa base cultural".

Visivelmente emocionado, o senador Fernando Collor homenageou a irmã e afirmou que ela sempre foi centrada na resolução dos problemas sociais do Estado. "Mais do que todos nós, irmãos, sobrinhos, primos, Ana Luísa conhecia a vontade e desejo do nosso pai Arnon de Mello de centrar no trabalho pelo desenvolvimento social, pelo desenvolvimento econômico de Alagoas, associado à justiça e bem estar da população", disse.

"Ana vai fazer muita falta. Com sua lucidez, inteligência, clarividência, coração enorme, bondade ela sabia e nos mostrou o caminho a ser seguido por todos nós", completou Collor.

Fonte: G1