Jornal Nacional repercute inoperância do HU de Teresina por falta de funcionários

Jornal Nacional repercute inoperância do HU de Teresina por falta de funcionários

Imagens feitas com uma câmera escondida pelo Jornal Nacional mostram corredores vazios e equipamentos que nunca foram usados.

Enquanto pacientes enfrentam a superlotação das unidades de saúde de Teresina, um hospital que está pronto para ser usado permanece fechado. Foram 23 anos até a conclusão das obras do Hospital Universitário, há um ano, mas a unidade permanece fechada por falta de funcionários, foi o que repercutiu o Jornal Nacional da TV Globo.

Imagens feitas com uma câmera escondida pelo JN mostram corredores vazios e equipamentos que nunca foram usados, alguns que sequer saíram das caixas.

O Hospital Universitário tem, ao todo, 230 leitos. Só nos últimos quatro anos foram investidos quase R$ 79 milhões na unidade. O local conta ainda com 13 salas de cirurgia, três de cirurgias odontológicas, 33 de exames e 53 consultórios, que permanecem vazios.


Jornal Nacional repercute inoperância do HU de Teresina por falta de funcionários

Longe do Hospital Universitário, a população sofre com a superlotação no Hospital de Urgência de Teresina. Doentes ficam em macas espalhadas pelos corredores por falta de vagas na UTI e pacientes em estado grave aguardam na sala de emergência.

As unidades de saúde do Piauí têm apenas 130 leitos de UTI. Esse número vai aumentar, quando o Hospital Universitário estiver funcionando.

O reitor da UFPI, Luiz de Sousa Santor Júnior, responsável pelo hospital, diz que aguarda o início das atividades da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, ligada ao Ministério da Educação. A empresa, segundo o reitor, vai administrar os hospitais universitários de instituições federais de ensino superior do país.

O Ministério da Educação declarou que o hospital já poderia estar em operação porque as universidades federais são autônomas e podem realizar concursos para a contratação de novos funcionários. Segundo o órgão, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares deve estar em funcionamento nos próximos meses, e que as universidades podem ou não aderir à nova empresa.

Fonte: G1