Jornal que convocou alunos da USP a jogar fezes em gays pede desculpas

Os editores ainda reforçam que o jornal tem o objetivo de fazer humor

?O Parasita?, jornal produzido por alunos da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP que publicou um artigo convocando outros estudantes a jogar fezes em gays em troca de ingressos para uma ?festa brega?, decidiu pedir desculpas pelo texto homofóbico ao qual classificou como ?exagero cometido na última edição?.

O G1 teve acesso no início da tarde deste domingo (25) a nota com o pedido de desculpas atribuída aos editores do jornal eletrônico ?O Parasita?, que foi distribuída para uma lista de e-mails de alunos da Universidade de São Paulo que recebem o periódico. Nela, os responsáveis pelo veículo, que não se identificam, lamentam o que foi escrito na última edição (de março e abril deste ano) e pedem desculpas aos alunos da faculdade por "ter colocado em evidência o nome da instuição [SIC - leia-se instituição]".

Os editores ainda reforçam que o jornal tem o objetivo de fazer humor e não possui qualquer intenção em ?divulgar mensagens homofóbicas ou insultar [SIC - leia-se incitar] a violência?.

Leia abaixo a íntegra da nota que foi distribuída no sábado (24) pela manhã e o artigo homofóbico publicado recentemente pelo ?O Parasita?.

Nota de ?O Parasita?:

?Date: Sat, 24 Apr 2010 10:17:44 -0300

Subject: Esclarecimentos sobre a última edição?

(...)

?Os editores de O Parasita gostariam de pedir desculpas pelo exagero cometido na última edição.

Gostaríamos de esclarecer que O Parasita é um jornal de humor escrachado e que não tem intenção de divulgar mensagens homofóbicas ou insultar a violência.

Adicionalmente, gostaríamos de pedir desculpas também aos alunos da FCF por ter colocado em evidência o nome da instuição.

Atenciosamente,

O Parasita?

Jornal O ParasitaJornal O Parasita (Foto: Reprodução)

Artigo polêmico publicado no ?O Parasita?:

"Lançe-merdas e Brega será na Faixa - Ultimamente nossa gloriosa faculdade vem sendo palco de cenas totalmente inadmissíveis. Ano passado, tivemos o famoso episódio em que 2 viadinhos trocaram beijos em uma festa no porão de med. Como se já não bastasse, um deles trajava uma camiseta da Atlética. Porra, manchar o nome de uma instituição da nossa faculdade em teritório dos medicus não pode ser tolerado. Na última festa dos bixos, os mesmos viadinhos citados acima, aprontaram uma pior ainda. Os seres se trancaram em uma cabine do banheiro, enquanto se ouviam dizeres do tipo "Aí, tira a mão daí." Se as coisas continuarem assim, nossa faculdade vai virar uma ECA. Para retornar a ordem na nossa querida Farmácia, O Parasita lança um desafio, jogue merda em um viado, que você receberá, totalmente grátis, um convite de luxo para a Festa Brega 2010. Contamos com a colaboração de todos. Joãozinho Zé-Ruela."

Investigação policial

Apesar do pedido de desculpas, a Polícia Civil de São Paulo vai investigar ?O Parasita? por suspeita de ele ter incitado outros estudantes a agredir gays. De acordo com a delegada Margarette Barreto, da Decradi (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância), o jornal foi acusado pela Coordenadoria de Políticas da Diversidade Sexual de ter convocado alunos a praticarem crime ao publicar texto no qual oferece convites para uma festa a quem jogar fezes em gays.

?Em tese, o jornal cometeu uma incitação ao crime. Convocou a população a cometer crime e isso será apurado?, afirmou a delegada da Decradi no sábado (24) por telefone ao G1. Se os responsáveis forem considerados culpados, poderão ser presos.

?Não vou investigar se eles cometeram homofobia porque homofobia não é crime. Quem vai apurar se houve homofobia será uma comissão especial da Secretaria da Justiça?, esclareceu Margarette, que deve abrir inquérito na segunda-feira (26).

Responsáveis pelo jornal

Ainda, segundo Margarette, a polícia irá tentar identificar e localizar os responsáveis pelo jornal e quem escreveu a nota. ?Em 2005, teve problema um problema parecido num jornal de uma faculdade de direito e conseguimos achar os autores?, disse a delegada.

O caso ganhou repercussão e a Defensoria Pública informou que irá denunciar o periódico por homofobia à Comissão Processante Especial da Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo. Os responsáveis pelo jornal poderão ser punidos com multa se forem considerados culpados.

No sábado (24), a Associação Atlética Acadêmica de Farmácia e Bioquímica da USP, responsável pelas atividades esportivas da faculdade e organizadora da ?Festa Brega?, repudiou ?O Parasita? e informou que não possui nenhum vínculo com o jornal. O Centro Acadêmico de Farmácia e Bioquímica da universidade e a Faculdade de Ciências Farmacêuticas também criticaram a postura do periódico e negaram qualquer relação com ele. A USP não quis se pronunciar.

Fonte: g1, www.g1.com.br