Jovem coloca bebê em uma mochila e envia o "pacote" de táxi para mulher

Jovem deu à luz, mas não queria que a mãe soubesse da gestação. Caso foi denunciado para a polícia de Santos, no litoral de São Paulo

Uma jovem de 29 anos deu à luz um bebê, o colocou dentro de uma mochila e o mandou de táxi para a casa de uma moradora do bairro Rádio Clube, em Santos, no litoral de São Paulo. Ela e uma amiga, que a auxiliou na ação, foram detidas por exposição e abandono do recém-nascido e tiveram que prestar depoimento na última sexta-feira (11) na Delegacia da Mulher da Cidade. O bebê passa bem.

Segundo o boletim de ocorrência, Marcela Felix dos Santos, de 29 anos, teria dado à luz um menino na madrugada da sexta-feira em sua residência, no morro São Bento. Certa de que sua mãe não aceitaria cuidar do neto, ela resolveu colocar o bebê dentro de uma mochila de tecido e levá-lo ao Hospital Guilherme Álvaro, onde trabalha como auxiliar de limpeza.

No hospital, Marcela pediu ajuda a uma colega de trabalho, Sônia de Moraes Gravata, de 33 anos. Sônia sugeriu que Marcela enviasse o bebê para uma tia, Rosineide Goes de Moraes, de 50 anos, moradora do Rádio Clube, que aceitou abrigar o recém-nascido dentro de casa.

A dupla ainda pediu para uma terceira pessoa, identificada como Clerisson, levar de táxi o recém-nascido até a casa de Rosineide. A dona de casa recebeu a criança em bom estado de saúde, mas devido as circunstâncias, resolveu acionar a Polícia Militar.

A criança foi encaminhada para o hospital e maternidade Silvério Fontes, em Santos. Depois de passar por análise médica, o bebê foi liberado e levado para a Casa da Criança por uma conselheira tutelar da cidade, que acompanhou todo o procedimento médico e constatou o bom estado de saúde do recém-nascido, que tinha entre 3 a 5 dias de vida.

Em depoimento à polícia, Marcela, a mãe do bebê, confirmou que o parto foi feito na própria casa e que guardou os restos da placenta, o cordão umbilical e as membranas amnióticas em um saco plástico. Ela contou que realmente colocou o filho na mochila, mas teria dito que deixou o zíper aberto para o bebê conseguisse respirar. Ela também afirmou que só fez isso porque queria esconder o parto da mãe. A jovem também falou que essa situação seria provisória, apenas para ela pensar como contaria o nascimento do filho para a avó do menino.

Um perito e um médico legista foram até a casa da jovem e coletaram o material indicado por Marcela. A mochila e uma tolha de banho também foram apreendidas para análise. A delegada Carla Raccioppi Urso entendeu que Marcela e Sônia expuseram o recém-nascido ao perigo ao colocarem o bebê dentro de uma mochila, considerada um ambiente hostil. Ambas foram liberadas e estão a disposição da polícia para maiores esclarecimentos sobre o caso.

Fonte: G1