Jovem que sofreu abuso em UTI volta a falar: "Não vejo a hora de comer"

Estupro aconteceu dentro do hospital no dia 29 de junho, em Santos, SP.

A jovem de 22 anos que foi abusada sexualmente por um técnico em enfermagem dentro da UTI de uma unidade de saúde de Santos, no litoral de São Paulo, voltou a falar depois de 56 dias. O aparelho que auxiliava sua respiração, mas impedia que ela falasse, foi retirado no sábado (24). Além disso, a vítima, que está grávida, também se recupera de um quadro de pneumonia constatado pela equipe médica. O estupro aconteceu na madrugada do dia 29 de junho deste ano, na UTI do Hospital Guilherme Álvaro.


Jovem que sofreu abuso em UTI volta a falar:

Segundo Luis Santos Menezes, tio da jovem, a primeira pessoa a ouvir a voz da vítima depois do que aconteceu foi a mãe dela. "Foi uma surpresa. Ninguém avisou. No sábado, quando a filha dela já conseguia falar, estava totalmente desprevenida. Quando ela estava molhando os lábios da minha sobrinha com água, como faz sempre, ela falou: "Mãe, não vejo a hora de comer". Foi um susto", relata.

Menezes diz que também se emocionou quando ouviu a voz da sobrinha novamente. "Fizeram segredo para mim também, não falaram nada. Quando cheguei e ela falou "tio" foi uma emoção muito grande. Depois de 56 dias sem ouvir a voz dela, estamos todos muito felizes. Ela também pediu a bênção da avó dela, minha mãe, que ainda não a viu no hospital. Quando ela soube, chorou como criança", conta.

O tio da jovem explica que, apesar do aparelho que auxiliava a respiração da sobrinha ter sido retirado, a traqueostomia foi mantida. "Ela ainda se recupera de uma pneumonia, mas segundo os médicos, o quadro já é estável, ela e o bebê não correm mais risco de morte", relata Menezes.

Na sexta-feira (23), ocorreu a primeira audiência do caso no Fórum de Santos, que contou com 17 testemunhas, sete de acusação e 10 de defesa. No dia, a jovem ainda não conseguia falar. Segundo Luiz, o juiz estuda a possibilidade de colher o depoimento da vítima no hospital. "Isso deve acontecer na semana que vem. Falamos para minha sobrinha e ela disse que ele pode ir a qualquer hora, que conta tudo. Ela disse que lembra de tudo o que aconteceu, mas pedimos para ela não falar nada para a gente, guardar para contar quando o juiz vier, melhor assim", conclui.

Entenda o caso

Uma jovem de 22 anos, que estava grávida de quatro meses, ligou para a família pelo celular, aos prantos, após sofrer abusos de um técnico em enfermagem, de 47 anos. O suspeito, preso em flagrante, tinha passagens pela polícia por estupro e atentado ao pudor. O caso aconteceu no dia 29 de junho, em Santos.

O tio da jovem conta que ela chorou muito depois do que aconteceu e acabou ficando muito nervosa. "Por causa da situação e do nervosismo, o estado de saúde dela acabou piorando. Ela foi entubada e sedada. Os médicos disseram para nós que isso aconteceu por causa do stress que ela enfrentou e acabou forçando os pulmões", explica o familiar da jovem. A vítima está internada no Hospital Guilherme Álvaro por problemas pulmonares.

Em nota, no dia do ocorrido, o Hospital Guilherme Álvaro informou que abriu sindicância para apurar o caso e que o técnico em enfermagem foi, imediatamente, afastado de suas funções. A nota diz ainda que o hospital está à disposição para quaisquer esclarecimentos às autoridades e à família da paciente.

Fonte: G1