Jovem quebra duas vértebras ao fugir de hospício por medo de louco viciado em sexo

No dia do crime, Jemma Rixon teve que trabalhar no turno da noite e, sozinha, ficou responsável pelos cuidados de seis residentes da clínica


Uma voluntária 20 anos teve que saltar da janela de um edifício de seis metros de altura para escapar de um homem que queria estuprá-la em uma clínica de doentes mentais, em Merseyside, no noroeste da Inglaterra. As informações são do Mirror.

Segundo a publicação, no dia do crime, Jemma Rixon teve que trabalhar no turno da noite e, sozinha, ficou responsável pelos cuidados de seis residentes da clínica. Ela já trabalhava há 10 meses no local, mas nunca havia ficado sozinha em um plantão no local. Naquela noite, Craig Cantwell, 30 anos - que já havia sido acusado pelos crimes de dano corporal, tumulto e delito com a intenção de cometer um crime sexual, em Liverpool - reclamou de uma forte dor de cabeça e, acompanhado por Jemma, foi levado à outro cômodo do local.

Lá, Cantwell teve um ataque psicológico - conforme diagnosticaram, mais tarde, os profissionais da clínica - e começou a chamar Jemma de prostituta, agredindo-a e exigindo que ela fizesse sexo com ele. Com medo, a jovem se trancou no banheiro, mas não foi o suficiente: Cantwell quebrou a parede do banheiro com uma cadeira. Neste momento, Jemma decidiu saltar da janela do cômodo, que ficava a seis metros do chão. "Eu sabia que existiam duas opções: ou eu saltava da janela, ou eu ficava, era estuprada e poderia ser morta", disse ela.

A vítima quebrou duas vértebras, além de fraturar o pescoço e o pé depois do salto, mas está se recuperando. Cantwell continua internado na mesma clínica e os responsáveis pela instalação lamentaram o ocorrido. Ninguém foi preso e Jemma apresenta sinais de estresse pós-traumático.

Fonte: Terra