Piauiense relata desespero e dor após tragédia no RS

Piauiense relata desespero e dor após tragédia no RS

“Mesmo hoje, segunda-feira, o clima é de muita preocupação e dor, afinal, foi uma grande tragédia

A jovem Taiane Ferreira, de família piauiense que mora na cidade de Santa Maria (RS), relatou ao Meionorte.com o que presenciou ao andar pelas ruas da cidade após o incêndio na Boate Kiss, que causou a morte de 233 pessoas e comoveu o país inteiro. ?Mesmo hoje, segunda-feira, o clima é de muita preocupação e dor, afinal, foi uma grande tragédia. A grande maioria dos jovens não é daqui, por Santa Maria ser um centro universitário, muitos vêm de fora e isso recaí sobre os familiares que tiveram que vir de longe?. Ainda segundo ela, estão ocorrendo acidentes nas estradas.

Taiane Ferreira, que é estudante, disse que os moradores da cidade estão abalados. O que se viu foi muita correria, sirenes de ambulância e carros em alta velocidade.

?Toda a cidade está mobilizada para o que ocorreu. Como moro a quatro quadras do local da boate, fiquei acordada até tarde, vi toda a agitação nas ruas, mas jamais imaginei o tamanho da tragédia. É triste demais, muitas vidas ceifadas, nos resta orar para Deus confortar o coração desses parentes?, declarou.

Leia a íntegra do depoimento de Taiane Ferreira:

?A madrugada de domingo (27) foi incomum em Santa Maria (RS). Por volta das 2h30 começamos a ouvir sirenes de ambulância e carros passando em alta velocidade, pensávamos que havia sido um grave acidente de carro, mas jamais o tamanho da tragédia que foi. Moro perto do local do acidente e o dia todo foi assim, helicópteros levando as vítimas para Porto Alegre, ambulância que não paravam se quer um minuto, muitos militares que estavam de férias foram chamados para ajudar, assim como profissionais de outras cidades. O número de feridos é muito grande, todos os hospitais estão lotados, só de passar em frente a qualquer um deles você sente a dor e preocupação dos amigos e familiares dos jovens que se encontram internados, muitos foram levados para Porto Alegre por motivos de não ter mais vagas. Mesmo hoje segunda o clima é de muita preocupação e dor, afinal foi uma grande tragédia, a grande maioria dos jovens não são daqui, por Santa Maria ser um centro universitário, muitos vem de fora e isso recaí sobre os familiares que tiveram que vir de longe. O hemocentro disse que tem sangue suficiente, mas quem quiser ajudar é sempre bem vindo. O prefeito declarou um luto oficial de 30 dias, foi o maior tempo de luto declarado ate hoje em Santa Maria.?





























































Fonte: Élida Ferreira/ Kaio Oliveira