Jovem tem que "despendurar" da web e voltar para a TV

A declaração foi feita pelo ministro, durante a cerimônia de abertura do 25º Congresso Brasileiro da Radiodifusão

Depois que Eric Schmidt, executivo-chefe do Google, pediu que os jovens desligassem seus computadores e experimentassem a "vida real", o ministro Hélio Costa (Comunicações) deu um conselho similar à juventude brasileira: deixar o PC e "voltar" para a TV e o rádio.

A declaração foi feita pelo ministro na noite durante a cerimônia de abertura do 25º Congresso Brasileiro da Radiodifusão, realizado pela Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão), em Brasília. "Essa juventude tem que parar de ficar só pendurada na internet. Tem que voltar a assistir TV e ouvir rádio", afirmou o ministro.

Entretanto, na visão de Hélio Costa, as emissoras também precisam investir para resgatar o interesse dos jovens, já que, para o ministro, grande parte eles "fica ouvindo o iPod, em vez de ouvir rádio".

O ministro afirmou que o mercado de radiodifusão tem potencial para aumentar o seu faturamento --hoje, dos R$ 110 bilhões gerados pelo setor de comunicação, R$ 12 bilhões são referentes à TV e R$ 1 bilhão ao rádio. O restante fica com as telecomunicações.

Mãos Limpas

Em discurso, Costa também disse que a questão da multiprogramação na TV digital -- em que as emissoras podem transmitir até quatro programações diferentes no mesmo espectro-- é assunto para o Congresso. Em fevereiro, o Ministério das Comunicações baixou uma norma que proíbe a multiprogramação em TVs comerciais e públicas estaduais, restringindo a tecnologia à TV Brasil, TV Justiça, TV Senado e TV Câmara.

"Não pode ficar na responsabilidade do Ministério das Comunicações ou do presidente da República se pode ou não a multiprogramação. Isso tem que passar pelo Congresso Nacional", disse Costa. "Quem decide se vai poder transmitir em uma mesma cidade mais de uma vez é o Congresso Nacional."

Neste mês, ele assinou uma autorização para que a TV Cultura possa transmitir três programações simultaneamente. A autorização foi dada "em caráter científico e experimental" depois de longa polêmica que incluiu a ameaça de Costa de lacrar os transmissores da Cultura.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br