Juíza piauiense é pedida em casamento pelo noivo enquanto fazia um matrimônio coletivo

Juíza piauiense é pedida em casamento pelo noivo enquanto fazia um matrimônio coletivo

O noivo interrompeu a cerimônia presidida pela futura esposa para pedir a mão da magistrada em casamento

Para a juíza piauiense Marina Melo, a surpresa e a presença de dezenas de desconhecidos marcaram seu pedido de casamento. Marina respondeu o próprio ?sim? enquanto celebrava um casamento coletivo que oficializou a união de 70 casais em Extremoz (RN), região metropolitana de Natal, na tarde da última sexta-feira (30).

Em meio à solenidade, diante de dezenas de testemunhas que estavam ali celebrando o casamento coletivo, o noivo da juíza, Tiago Luiz de Araújo Almeida, interrompeu a cerimônia presidida pela futura esposa para pedir a mão da magistrada em casamento.

Como a história não poderia ter um final triste, a juíza não titubeou e, emocionada, aceitou o pedido, para comemoração de todos os demais casais recém-casados por ela naquele dia.

Para não perder o ritmo da coletividade, os noivos marcaram a cerimônia de casamento para a próxima edição do programa ?Justiça na Praça?, promovido pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, que acontecerá no próximo dia 21, em Baía Formosa (95 km de Natal).

Ajuda de desembargadora

A surpresa teve ajuda da desembargadora Zeneide Bezerra, que, antes de Tiago fazer o pedido, destacou a importância da oficialização das uniões maritais e afirmou que os juízes também devem casar em praça pública. Logo após, Tiago pegou o microfone e fez o pedido de casamento à juíza Marina.

?O amor tem que ser verdadeiro. Tem que ser sentido, e o que eu sinto não encontro palavras para expressá-lo. Assim, peço inspiração a Santo Antônio para te pedir em casamento: Marina, quer casar comigo??, declarou Tiago, sucedido por um emocionado ?sim? e colocação de alianças na mão direita.

Fonte: UOL