"Justiça será feita", afirma mãe de mulher arrastada até a morte

Em coletiva antes do júri, Zenite Artigas citou encontro único com réu.

Antes de entrar para o júri popular que define o destino do empresário Pablo Russel Rocha, acusado de arrastar até a morte uma mulher em 1998 em Ribeirão Preto (SP), Zenite Artigas, mãe da vítima do crime que chocou o país, citou a única vez que esteve frente a frente com o réu, além de não acreditar que a morte de Selma Heloísa Artigas da Silva tenha resultado de um acidente.



?Espero que a lei seja cumprida. Se Deus quiser, justiça será feita?, afirmou aos jornalistas na manhã desta quinta-feira (17). Acompanhada de uma filha e da advogada, Zenite disse que ?na única e primeira vez? em que participou de uma audiência com Pablo preferiu ignorá-lo.

Ela afirmou que a filha estava grávida de dois meses do namorado ? que não era Pablo - e que a família não conhecia o réu.

Fonte: G1