Lagoas da Zona Norte são risco para moradores

existem aproximadamente 40 na região. A profundidade daquelas maiores chega a dois metros.

Fala-se bastante nos riscos de afogamento trazidos pelos rios que cortam a capital. No entanto, a morte de Antonio Carlos Assunção em uma lagoa do bairro Nova Brasília, este mês, desperta também para os perigos das lagoas existentes em grande quantidade, principalmente na zona Norte de Teresina.

Elas foram formadas há muitas décadas, em decorrência da extração de areia e barro para a construção civil. ?Quando eu era novinha, está com mais de 30 anos, era acostumada a correr de um lado pra outro vendendo peixe. Era tudo areia, mas os caminhões foram cavando e virou isso aí?, relata Mãe Alda, dona de uma bar à beira da lagoa.

Segundo Orlando Geraldo de Carvalho, engenheiro do programa Lagoas do Norte, existem aproximadamente 40 na região, sendo que 11 são consideradas de maior porte. A profundidade daquelas maiores chega a dois metros.

O risco torna-se maior porque muitas famílias moram próximo desses locais, que acabam servindo como diversão para as crianças. ?Esses meninos todos brincam aí dentro. Vão até no fundo. Na verdade, foi onde eles aprenderam a nadar?, revela Liliane de Souza Nascimento, que tem uma casa situada entre duas lagoas.

Segundo ela, não há como impedir que os filhos se arrisquem e os sustos são constantes. ?De vez em quando tem menino quase se afogando. O meu filho mesmo já ficou enganchando nas ramas. Mas graças a Deus conseguiu sair sozinho?, conta Liliane.

Além do risco para as crianças, os adultos que costumam beber à beira das lagoas e decidem nadar, estão propensos a afogamentos. Isso teria sido o que ocorreu com Antonio Carlos Assunção, que entrou na água e não conseguiu mais voltar à superfície.

Segundo Mãe Alda, a responsabilidade que ela tem com os clientes é maior devido a localização do seu estabelecimento. ?As meninas que trabalham aqui ficam o tempo todo fiscalizando porque as pessoas, quando bebem, saem do seu consciente. Uma briga aqui pode causar grande problema?, afirma a mulher.

Fonte: Nayara Felizardo