Licitação: mais de 3 mil funcionários do transporte público podem perder o emprego

Licitação: mais de 3 mil funcionários do transporte público podem perder o emprego

A permanência dos demais trabalhadores também não está assegurada.

Os motoristas, cobradores de ônibus e demais servidores do transporte público de Teresina fizeram manhã desta quarta-feira, 11, uma peregrinação pelo plenário e gabinete dos Vereadores. A razão está na retirada da obrigatoriedade das empresas vencedoras das licitações de ônibus a indenizarem a quem venha sair do sistema após o processo licitatório.

A permanência dos demais trabalhadores também não está assegurada. ?Se esse projeto passar, da forma como o prefeito enviou para a Câmara, o desemprego é total. Pois não temos nenhuma garantia com essa licitação que está vindo aí?, diz um funcionário de empresas de ônibus.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes(Sintepro), Francisco Oliveira, afirmou, durante o programa Agora desta quarta-feira, 11, que a licitação é uma bandeira que vai determinar que a Prefeitura de Teresina faça o que lei determina.

?Nós queremos que em todos esses ônibus exista o cobrador. Nós queremos que a Câmara garanta de fato?, apela o presidente.

?Se uma empresa de fora ganhar a licitação, nós queremos que todos os trabalhadores que fazem o transporte urbano de Teresina tenha a garantia do emprego?.

O presidente do Setut, Herbert Miúra, afirmou, em entrevista ao Agora, que não há garantias de que a empresa vencedora da licitação absorva todos os trabalhadores. ?Nós não temos essa garantia. Hoje, nós temos dentro do Sistema 3500 trabalhadores que podem perder o emprego se nós não tivermos a garantia no processo de licitação.?

Segundo ele, a medida é unir Sindicato, Prefeitura e Câmara para assegurar a absorção dos trabalhadores. ?Nós queremos a garantia que a empresa que ganhar as licitações garanta a permanência de todos os trabalhadores do sistema?.

Fonte: Denison Duarte