Líder do 'Vem pra rua' é flagrado batendo ponto e indo embora

Líder do 'Vem pra rua' que pede o impeachment de Dilma

Image title


O líder do movimento Vem Pra Rua em Vitória, no Espírito Santo, foi flagrado por câmeras da Câmara Municipal da capital batendo o ponto de presença vestido de bermuda, camiseta, sandálias e óculos escuros e indo embora sem trabalhar.

O vídeo causou sua exoneração, mas ele afirma desconhecer as imagens e não se lembrar de ter feito isso. O fato aconteceu em março de 2013 (quando Fontoura era presidente da Juventude do PSDB do Espírito Santo), mas o vídeo só foi divulgado nesta segunda-feira (18). Na época, Armando Fontoura era funcionário do vereador Luiz Emanuel (PSDB-ES).

Fontoura foi um dos organizadores de manifestações contra a corrupção e contra a presidente Dilma Rousseff nas ruas de Vitória. Para ele, a divulgação do vídeo é uma “trama diabólica”.Em nota, Armando Fontoura pediu desculpas à sociedade capixaba e aos militantes do PSDB e alegou que foi o vereador Luiz Emanuel, para quem ele trabalhava, que o “induziu ao erro”.

Image title


Questionado pelo jornal A Tribuna sobre se sua conduta como assessor na Câmara condizia com o que prega nas ruas, Fontoura respondeu: “Minha luta sempre foi pública e quem me conhece sabe que eu não coaduno com nenhum tipo de malfeito”.

No último domingo, 17, Armando Fontoura foi eleito secretário do diretório municipal do PSDB. O vídeo foi divulgado por integrantes da própria juventude do PSDB, após a eleição da Executiva Municipal da legenda.


Eles denunciam uma fraude na disputa interna: Armando Fontoura teria a senha do programa de filiação do partido e teria filiado várias pessoas de sua família para participar da eleição. “O Armando conseguiu filiar pessoas que nunca tiveram ligação com o PSDB. Ele ligou para os parentes irem votar. Teve gente que foi votar de pijama”, contou Bárbara Kuster, 25.

Para Elias José Salim, 20, a chapa vencedora, encabeçada por Wesley Goggi, e que tem Armando Fontoura como secretário, só está atrás de cargos, não tem ideologia. “Eles achavam que teriam cargo no governo com César Colnago (PSDB) como vice-governador”, disse. O líder do Vem Pra Rua respondeu ser normal ter parentes filiados ao partido, mas não precisou o número de familiares que foi votar por ele no domingo passado.

Fonte: Com informações do G1