Mãe causa confusão em shopping ao "perder" seu bebê de sete dias

Mãe causa confusão em shopping ao "perder" seu bebê de sete dias

PM e seguranças foram mobilizados com a falsa suspeita de sequestro.

Equipes da Polícia Militar e todo o efetivo de seguranças do Shopping Iguatemi, em Campinas (SP), foram mobilizados na noite de segunda-feira (20) após uma mãe ter entrado em desespero ao "perder" o filho recém-nascido, de 7 dias, dentro do próprio carrinho da criança. O bebê, que nasceu prematuro de 8 meses, rolou e acabou escondido entre as mantas, o que fez a mãe pensar em um sequestro. Diante da suspeita, o fluxo de pessoas no local passou a ser monitorado até que o mal-entendido fosse desfeito. O bebê foi localizado por uma prima e passa bem.

Segundo a mãe da criança, Marcilda Mota, ela virou de costas para falar com o pai do bebê e, no momento em que se voltou para o carrinho, não viu mais o filho. A mulher imediatamente gritou que haviam levado o recém-nascido e, na confusão, algumas sacolas foram colocadas no carrinho, sobre a criança, o que dificultou ainda mais a localização dela.

No momento em que a mãe acreditou ter tido o filho sequestrado, os seguranças foram acionados por frequentadores do shopping e, segundo a assessoria de imprensa do Iguatemi, imeditamente os funcionários chamaram a Polícia Militar e iniciaram as buscas. Uma equipe da PM se deslocou até o centro de compras e, após 50 minutos, uma prima que acompanhava Marcilda resolveu olhar novamente o carrinho e encontrou a criança. A mãe se desculpou pela confusão.

Segundo a PM, como a criança foi achada, não houve necessidade de registrar um boletim de ocorrência. Por meio de nota, o shopping informou que, durante o incidente, toda a operação esteve mobilizada para ajudar os pais e colaborar com as autoridades competentes na resolução do caso.

"O shopping esclarece, ainda, que os pais verificaram que o bebê tinha permanecido o tempo todo dentro do carrinho e que tudo não passava de um mal-entendido", diz a nota do Iguatemi. Por volta das 22h30, a família foi liberada e deixou o centro de compras com a mãe, ainda assustada com o ocorrido.

Fonte: G1