Mãe de bebê que teve corpo trocado em enterro denuncia descaso de hospital e pede por justiça

Mãe de bebê que teve corpo trocado em enterro denuncia descaso de hospital e pede por justiça

Mulher alega que instituição não procurou a família para prestar esclarecimentos

A mãe do recém-nascido morto que teve o corpo trocado pelo Hospital das Clínicas de Belo Horizonte no último domingo (27) alega que a instituição não prestou assistência à família. Segundo Sirlene Jackeline dos Santos, nenhum representante do hospital prestou esclarecimentos diretos sobre o caso.

Com as roupinhas que seriam do filho nas mãos, Sirlene explica o que aconteceu à Vítor Augusto dos Santos. Embora tenha tido uma gravidez tranquila, o menino nasceu prematuro. Por causa de problemas durante o parto, ele foi parar na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), onde ficou internado por uma semana, até o último sábado (26), quando morreu durante uma troca de plantão.

? Tudo que eu queria era abraçar meu filho, coisa que eu não tive, não pude ver meu filho chorar, não pude ver meu filho mexer.

A mãe conta ainda que ficou chocada ao abrir o caixão do bebê durante o enterro, já no Cemitério da Paz. Ela foi a primeira a notar a troca.

? Mãe não erra. A hora que eu abri o caixão eu vi, gente, que não era meu filho.

A confusão teria ocorrido porque as duas famílias têm o sobrenome Santos. Quando a família viu o corpo que seria velado, percebeu que se tratava de um feto que também estaria internado no HC e chamou a polícia.

Em nota, a diretoria do HC admitiu o erro e informou que "ao efetuar a liberação do corpo do recém-nascido V. dos Santos, o Hospital entregou à funerária o corpo do feto de F. dos Santos". A diretoria lamenta o erro e informa que a troca foi desfeita assim que os parentes perceberam. Segundo o hospital, uma sindicância será aberta "para apurar as esponsabilidades e identificar as causas do erro e, se for o caso, a revisão dos seus protocolos, re-orientação e treinamento de seus funcionários".

A mulher contesta ainda a alegação de que o hospital estaria prestando assistência à família. Ela afirma que pretende entrar na Justiça contra a instituição.

? Eu vou atrás de um advogado, vou procurar todas as providências sim. Até agora não tenho uma assistência para eles me dizeram o que aconteceu mesmo com a troca do meu filho.

Fonte: r7