Mãe suspeita de espancar filho se justifica: 'Fez cocô na cama e eu me estressei'

A criança está internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Franca (SP).

Em depoimento à Polícia Civil em Cristais Paulista (SP), Jane Aparecida Jardim, de 27 anos, confessou ter batido no filho Adriano Henrique Jardim Ramos, de 5 anos, após ele ter defecado na roupa que vestia e na cama. Ela foi indiciada por tentativa de homicídio e presa depois das agressões na quinta-feira (26). A criança está internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Franca (SP).

Na delegacia, Jane contou que não havia levado Adriano à creche na quinta-feira para que ele cuidasse de seu irmão mais novo enquanto ela fazia serviços de casa. Em determinado momento, a mulher percebeu que ele havia defecado em suas roupas e acabou se irritando. “Ele tinha feito cocô na cama. Foi quando eu me estressei e bati nele e acabei empurrando ele. Foi quando ele bateu a cabecinha na cama”, contou.

Durante a agressão, ela teria usado um cinto e segurado o menino pelos braços e pescoço, deixando marcas em seu corpo, segundo a polícia. “Eu fiquei irritada. Porque eu já tinha lavado as cuecas dele no dia anterior e ele foi e fez isso”, afirmou.

Durante seu depoimento, ela relatou que, apesar da surra, a criança voltou a brincar normalmente com o irmão e que só percebeu a gravidade dos ferimentos quando colocou o menino para dormir depois do almoço.

“Eu vi que ele estava com hematomas no bracinho, na barriguinha e nas perninhas. Mas pedi perdão a ele”, revelou. Apenas quando o menino não acordou, ela viu que a cabeça dele estava inchada e chamou ajuda para levá-lo ao hospital.

A mãe também disse que já usou cocaína, mas negou que estivesse sob efeito de qualquer substância no momento da agressão.

Investigação

Segundo o delegado Djalma Donizette Batista, as investigações não descartam a hipótese de que a mãe tenha usado outros objetos além do cinto para agredir a criança e que episódios como esse já tenham ocorrido outras vezes. O delegado também investiga a possibilidade de envolvimento de outra pessoa na agressão. Ele aguarda o laudo pericial.

“Não tenho dúvidas que as agressões já aconteciam. Porque o médico legista que fez uma perícia preliminar nessa criança nos atestou que ela tem lesões atuais e antigas. Percebemos também que existem lesões até de queimadura e hematomas que não acreditamos que foram oriundos apenas do uso do cinto”, explicou Batista.

Internação

Adriano foi levado para o pronto-socorro e transferido para a Santa Casa. Segundo a assessoria de imprensa do hospital, o menino deu entrada na unidade com traumatismo craniano e foi internado na UTI em estado grave. Após a internação, o hospital comunicou a delegacia de Franca, que passou a investigar o caso.

Após interrogatório, a mãe foi presa em flagrante e encaminhada para a Cadeia do Guanabara. Ela foi indiciada por tentativa de homicídio qualificado e por motivo fútil.



Fonte: G1